Lelê Bortholacci: Inter pega um velho conhecido nas oitavas da Libertadores - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Paixão Colorada02/06/2021 | 07h00Atualizada em 02/06/2021 | 07h00

Lelê Bortholacci: Inter pega um velho conhecido nas oitavas da Libertadores

Adversário colorado será o Olimpia, a quem vencemos duas vezes na fase de grupos

Lelê Bortholacci: Inter pega um velho conhecido nas oitavas da Libertadores Ricardo Duarte / Inter/Divulgação/Inter/Divulgação
Taison já encarou os paraguaios nesta temporada Foto: Ricardo Duarte / Inter/Divulgação / Inter/Divulgação
Lelê Bortholacci
Lelê Bortholacci

lele@atlantida.com.br

Não vêm Boca Juniors, nem River Plate, nem São Paulo. O sorteio desta terça-feira (1º) não colocou no nosso caminho nenhum dos mais temidos adversários nas oitavas de final da Libertadores. Mas eu não caio nessa de que o Olimpia era o "melhor" para o Inter. Seguidamente, temos exemplos que mostram como a competição muda a partir do início dos mata-mata.

São 45 dias até o primeiro jogo. Muita coisa muda até lá. E estamos falando de um time de tradição, tricampeão continental, responsável direto por um dos meus maiores traumas vividos no Beira-Rio.

Leia mais
Inter faz "recuo estratégico" por Felipe Jonatan e pode buscar alternativa no mercado
Vice do Inter avalia Olimpia como rival nas oitavas da Libertadores
Saravia projeta estreia do Inter na Copa do Brasil: "Vamos com muitas expectativas pelo título"

É claro que os resultados dos dois jogos na fase de grupos nos colocam como favoritos: afinal, foram duas vitórias, uma delas por 6 a 1, que provaram que Miguel Ángel Ramírez conhece bem o Olimpia. Mas, para mim, pouco importa. Libertadores, a partir das oitavas de final, é outro campeonato. Basta uma noite ruim e tudo pode ir por água abaixo.

Foco nas competições nacionais

Até lá, temos é de focar nas competições nacionais. Definir um time considerado titular — nem que sejam mais de 11 jogadores — e um esquema de jogo, além de resolver rapidamente a queda de rendimento e os muitos gols sofridos nos segundos tempos dos jogos.

Mesmo que não haja mais o gol qualificado na Copa do Brasil, se não resolvermos este problema, não iremos longe na competição que mais dá dinheiro na temporada e representa uma possibilidade real de título se comparada ao extenso Brasileirão e suas intermináveis 38 rodadas.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros