"As imagens são perturbadoras. Trata-se de um crime militar", diz comandante interino do 11º BPM - Polícia

Versão mobile

 
 

Entrevista01/02/2015 | 23h32Atualizada em 02/02/2015 | 05h00

"As imagens são perturbadoras. Trata-se de um crime militar", diz comandante interino do 11º BPM

Major Sérgio Rocha, responsável pelos PMs que realizaram abordagem violenta na Vila Farrapos, avalia vídeo que flagrou agressões

"As imagens são perturbadoras. Trata-se de um crime militar", diz comandante interino do 11º BPM Reprodução/vídeo
Foto: Reprodução / vídeo

Comandante interino do 11º BPM, o major Sérgio Rocha admitiu que houve excesso por parte dos policiais militares que aparecem no vídeo agredindo moradores da Vila Farrapos, na Capital. Ele informou que um inquérito policial militar (IPM) será aberto na terça-feira para apurar o caso, que ele define como “crime militar”. Os PMs envolvidos poderão ser punidos com prisão e até expulsão da BM. Por enquanto, todos continuam trabalhando nas ruas.

O senhor acredita que houve excesso na ação dos policiais que foi registrada?
Sem dúvida. As imagens são fortes e perturbadoras. Podemos ver no vídeo, claramente, o excesso no modo como eles conduziram a situação. Trata-se de um crime militar. Nesta terça-feira, será aberto um inquérito policial militar para averiguar a conduta de cada um. Não é porque alguns agiram de forma errada que todos serão responsabilizados da mesma forma. É preciso analisar caso a caso.

Mesmo quem não participou diretamente das agressões não teria sido, de alguma forma, conivente?
Com certeza. E também deverá ser punido. Entretanto, possivelmente não com a mesma severidade de quem praticou as agressões propriamente ditas. Por isso, a importância de individualizar as condutas.

Os policiais militares envolvidos podem sofrer quais tipos de punições?
Eles serão julgados em duas esferas: a militar e a administrativa. No âmbito da Justiça Militar, o promotor pode denunciar os policiais por abuso de autoridade, e eles podem ser detidos ou presos por até um ano e meio (em um presídio militar). Na administrativa, podem ser punidos no próprio quartel, com pena que pode ir de detenção à prisão. A exclusão da corporação é uma possibilidade muito remota.

Os policiais identificados já se manifestaram?
Já conversaram com seus superiores. Disseram que a situação saiu de controle quando os moradores da vila vieram para cima dos PMs. 

Moradores disseram que os PMs teriam invadido a casa de um dos detidos. O senhor confirma?
Não. Não tenho essa informação, e nada foi mencionado a esse respeito. Mas, se tivesse acontecido mesmo, por que isto não está nas filmagens?

Policiais militares teriam agredido irmãos no 11° batalhão
Tumulto entre moradores e BM, na Vila Farrapos, acaba em violência e detidos

Os detidos tinham antecedentes criminais?
Apenas um deles. Os outros dois, não.

Quantos policiais exatamente estão envolvidos nesta situação?
Agora não sei precisar. Mas são muitos.

Esses policiais continuam trabalhando nas ruas?
Sim, estão todos eles nas ruas, trabalhando normalmente enquanto o inquérito não é aberto. Apenas a partir disso, e se o encarregado pelo inquérito avaliar que os policiais devem ser afastados para melhor condução das investigações, aí, sim, eles poderão ser retirado do policiamento da Capital.

Curta a página do Diário Gaúcho no Facebook

DIÁRIO GAÚCHO

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros