Personal trainer é preso por suspeita de assassinato de três garotas de programa - Polícia

Versão mobile

 
 

Curitiba29/04/2015 | 18h24

Personal trainer é preso por suspeita de assassinato de três garotas de programa

Alexandre Lopes de Pádua Arcenio, 31 anos, teria enforcado as vítimas depois de se relacionar sexualmente com elas

Personal trainer é preso por suspeita de assassinato de três garotas de programa RPC TV/Reprodução
Foto: RPC TV / Reprodução

Um personal trainer foi preso na última segunda-feira por suspeita de assassinar três garotas de programa em Curitiba, no Paraná. Alexandre Lopes de Pádua Arcenio, 31 anos, teria usado um único método com todas as vítimas: ele marcava um encontro, mantinha relações sexuais com as prostitutas, enforcava elas e as deixava trancadas no local.

Segundo o jornal Extra, a primeira vítima seria uma transexual de 28 anos, que foi achada morta no dia 16 de março. Ela estaria amarrada e nua sobre a cama quando foi encontrada por vizinhos, que sentiram um forte cheiro, devido ao adiantado estado de decomposição.

Jovem mata namorada grávida e leva a cabeça da vítima à polícia

A segunda vítima uma garota de programa de 42 anos, encontrada dia 21 de março em um ponto de prostituição no Centro de Curitiba. Ela também estava nua quando encontrada e, assim como no caso anterior, apresentava marcas de violência pelo corpo.

Quase um mês depois, no dia 19 de abril, outra prostituta foi achada morta na capital paranaense. Ela teria 36 anos e, mais uma vez, quando o corpo foi encontrado, a vítima estaria nua. Assim como nos outros casos, a causa da morte foi o estrangulamento.

Homem que decapitou namorada em SP postou foto da cabeça no Facebook

Dias mais tarde, em 24 de abril, o personal trainer marcou um encontro com outra transexual, via WhatsApp. Mais uma vez, o suspeito enforcou a vítima. No entanto, ela desmaiou, mas não morreu.

A garota de programa contou à polícia que Alexandre pensou que ela havia morrido. Ele fugiu do apartamento levando os pertences da moça.

— Ele foi extremamente carinhoso, não demonstrou nada, a não ser um pouco de ansiedade. Assim que terminamos, ele não quis tomar banho. Me deu um beijo, conversamos um pouco, ele me abraçou por trás e me deu uma "mata leão" que me fez apagar. Acordei um tempo depois, muito machucada, com uma toalha no meu pescoço — disse ela à polícia.

Leia outras notícias de polícia

O suspeito admitiu ter encontrado duas das vítimas e confessou ter aplicado o golpe conhecido como "mata leão" — uma técnica de estrangulamento — para roubar dinheiro e pertences das mulheres. Ele nega que tenha matado as garotas de programa. Contudo, em seu apartamento foram encontradas as chaves dos apartamentos onde os crimes aconteceram e um pedaço de corda.

Alexandre não tinha passagens pela polícia e afirmou ter cometido os crimes porque passava por dificuldades financeiras. Ele responderá por três homicídios dolosos — quando há a intenção de matar — e uma tentativa de homicídio. A polícia também investiga se o suspeito cometeu outros crimes e como ele selecionava as vítimas e entrava em contato com elas.

Leia outras notícias do dia
Curta a página do jornal no Facebook

* Diário Gaúcho

DIÁRIO GAÚCHO

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros