Sobe para seis o número de mortos após tiroteio em Cidreira, no litoral gaúcho - Polícia

Vers?o mobile

 

Chacina em pousada12/04/2015 | 02h00Atualizada em 12/04/2015 | 14h04

Sobe para seis o número de mortos após tiroteio em Cidreira, no litoral gaúcho

Sétima vítima foi transferida em estado gravíssimo para a Capital

Sobe para seis o número de mortos após tiroteio em Cidreira, no litoral gaúcho Júlio Cordeiro/Agencia RBS
Assassinos teriam invadido um estabelecimento no bairro Nazaré, identificado como Pousada do Celomar Foto: Júlio Cordeiro / Agencia RBS

Seis pessoas foram mortas em um tiroteio no começo da madrugada deste domingo em Cidreira, no Litoral Norte. Segundo a Polícia Civil, cinco morreram no local e dois foram encaminhadas ao hospital de Tramandaí. Um dos feridos morreu pouco depois e o outro foi encaminhado em estado gravíssimo para Porto Alegre.

Informações preliminares indicam que os assassinos invadiram um estabelecimento no bairro Nazaré, identificado como Pousada do Celomar, pouco antes da 1h, e atiraram contra frequentadores. O pai de uma das vítimas disse à Brigada Militar que os atiradores eram três homens que saíram de um Siena escuro e, depois, fugiram.

Leia as últimas notícias do dia

A Polícia Civil já identificou todas as vítimas. Os cinco que morreram na hora foram: Lucas Souza da Rocha, 17 anos, Fabiano Soares da Cunha, 15 anos, Lucas Rafael Rodrigues Duarte, 15 anos, Endriqui dos Santos Gaspar, 19 anos, e Andriel Silva de Souza de Moraes, 24 anos.

Dos que foram encaminhados para o hospital, Roberson Durão Leão, 26 anos, não resistiu e também acabou morrendo. Já David de Mello Carvalho, 23 anos, foi transferido em estado gravíssimo para o Hospital Cristo Redentor, na Capital.

Quarto onde ocorreu chacina em Cidreira era residência de traficantes, diz BM

O quarto em que houve a chacina servia de residência a um grupo de traficantes e costumava ser frequentado por usuários de drogas, segundo a BM. O local é conhecido como ponto de tráfico e já havia sido palco de várias prisões. Até agora, porém, nunca havia ocorrido execuções.

– Os usuários de drogas, na maior parte adolescentes, estavam no lugar e na hora errados – comentou um PM.

Até a manhã deste domingo, não havia suspeitos e ninguém havia sido preso. O caso será investigado pela Polícia Civil.

*Zero Hora

ZERO HORA

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros