Polícia liberta jovem sequestrada em Capela de Santana, no Vale do Caí - Polícia

Versão mobile

Fim de cativeiro22/11/2017 | 16h12Atualizada em 22/11/2017 | 16h14

Polícia liberta jovem sequestrada em Capela de Santana, no Vale do Caí

Garota de 18 anos ficou cerca de seis horas em poder dos criminosos, que não chegaram a pedir resgate

 

Polícia liberta jovem de 18 anos sequestrada em Capela de Santana, no Vale do Caí
Foto: Polícia Civil / Polícia Civil/ Divulgação

Após quase seis horas de cárcere, a Brigada Militar, com apoio da Polícia Civil, libertou, no final da noite dessa terça-feira (21), uma jovem de 18 anos que foi sequestrada no município de Capela de Santana, no Vale do Caí. Dois homens foram presos. 

Conforme o delegado Rodrigo Zucco, responsável pela delegacia de Capela de Santana, os homens, de 18 e 25 anos, são de Viamão e integram uma das maiores facções de tráfico de drogas do Estado. Um dos suspeitos foi preso dentro do cativeiro. O outro tentou escapar, mas foi preso logo em seguida. Além da prisão por sequestro e cárcere privado, a dupla também foi autuada por tráfico de drogas, pois possuíam pedras de crack. 

Polícia liberta jovem de 18 anos sequestrada em Capela de Santana, no Vale do Caí
Foto: Polícia Civil / Polícia Civil/ Divulgação

Leia mais
Polícia faz operação contra tráfico de drogas no Noroeste do Estado
Preso suspeito de balear colegas senegaleses em empresa da zona norte de Porto Alegre
Adolescente é libertado após 32 horas de sequestro em Uruguaiana

Ainda conforme o delegado, os suspeitos não tiveram tempo de pedir o resgate da vítima. O moradores do interior do município notaram a movimentação dos sequestradores e avisaram a polícia. A jovem foi encontrada amarrada em um sofá dentro do cativeiro. 

– Não deu tempo para fazer nada. Localizamos o cativeiro umas seis horas depois. Capela de Santana é um município pequeno, a comunidade nota movimentações estranhas – disse o delegado.

A motivação do sequestro ainda é desconhecida. A jovem é de uma família de classe média da cidade, não conhece os criminosos e não possui registros policiais.   

O delegado acredita que o crime tenha sido ordenado por um traficante do município que está preso no Presídio Central, em Porto Alegre. Ele seria um dos líderes da facção a qual os suspeitos estão ligados. Ambos possuem antecedentes por tráfico de drogas. 

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 

Mais sobre

Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros