Polícia recaptura homem que matou mulher e sogro em 1992 no RS - Polícia - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Região Metropolitana23/11/2017 | 17h01Atualizada em 23/11/2017 | 17h01

Polícia recaptura homem que matou mulher e sogro em 1992 no RS

Localizado em Sapucaia do Sul, ele estava foragido desde março de 2017

Agentes da Polícia Civil prenderam um homem de 54 anos condenado por ter matado a esposa grávida e o sogro em 1992, em Esteio. Foragido desde março, João Gonçalves dos Santos foi encontrado em uma residência na manhã desta quinta-feira (23), no bairro Ipiranga, em Sapucaia do Sul. 

 Santos havia sido preso em 2011 e progrediu do regime fechado para o semiaberto em 2015, vivendo em Esteio. Desde então, utilizava tornozeleira eletrônica. Em março de 2017, o homem saiu do raio permitido e monitorado pela tornozeleira eletrônica e se abrigou em Sapucaia do Sul. 

 Conforme o titular Delegacia de Capturas (Decap), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), delegado Arthur Raldi, o homem se mostrou surpreso ao ser detido e minimizou o crime.

Leia mais
Polícia vai indiciar motorista do Uber que teria se masturbado em frente a passageira em Porto Alegre
Quatro pessoas morrem em tiroteio em Caxias do Sul

 — Na viatura, ele veio conversando conosco e disse "tem tanto bandido solto por aí e vocês vieram atrás de mim". Ele também falou que o duplo homicídio apenas resolveu uma "questão de família". Só que ele cometeu um duplo homicídio — frisou Raldi.

 O delegado comemorou a prisão, já que o homem havia sido procurado em diversos endereços e este seria o último esconderijo em que ele poderia ser localizado.  

 O crime ocorreu em fevereiro de 1992, no bairro Santo Inácio, em Esteio. Santos chegou ao bar do então sogro, Alencastro Camboim, e começou a beber. Pouco depois, sacou uma espingarda de caça que estava amarrada no cano de sua bicicleta e atirou contra o a vítima. A companheira Sandra Camboim, que também estava no bar, começou a correr, com a filha no colo. O homem atirou novamente e atingiu a mulher. A criança conseguiu escapar. 

O crime foi motivado porque Sandra, que estava grávida de João, queria o fim do relacionamento. Ele buscava manter a relação, mas não queria ter o filho. 

O homem será novamente recolhido ao regime fechado. 

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros