Universitária presa por tráfico de drogas foi vítima de armação de ex-namorado em Taquara - Polícia

Versão mobile

Áudio28/12/2017 | 11h56Atualizada em 28/12/2017 | 11h56

Universitária presa por tráfico de drogas foi vítima de armação de ex-namorado em Taquara

Homem admitiu que fez uma denúncia anônima para a polícia após colocar entorpecentes no carro da mulher

 Um homem apontado como mentor de uma armação que causou a prisão de uma universitária de 24 anos em Taquara, no Vale do Paranhana, foi detido na tarde de quarta-feira (27) pela Polícia Civil, que o procurava desde o dia 18 deste mês. Conforme os investigadores, o eletricista, de 49 anos, é ex-namorado da jovem e teria praticado os crimes por ciúmes.  

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho  

A estudante foi presa em 20 de novembro pela Brigada Militar (BM). Policiais receberam denúncia anônima de que ela estava vendendo drogas em frente a uma faculdade no Centro de Taquara, em seu Ford Fiesta. Os agentes revistaram o carro e encontraram uma pochete com maconha e crack. Por isso, a jovem foi levada para o Presídio Estadual Feminino Madre Pelletier, em Porto Alegre, onde ficou pouco mais de um dia. 

Não entendendo como a droga foi parar no seu carro, ela procurou a Polícia Civil e contou que havia sido vítima de armação. No dia seguinte, uma amiga da vítima recebeu um áudio de 2 minutos e 51 segundos, em que o ex-namorado confessava o crime. Em suas palavras, afirma que fez uma "ladaia" para, depois da prisão, provar o amor pela ex. Para isso, planejava vender o carro e pagar um advogado, que supostamente livraria a jovem da cadeia. 

— Eu tô assumindo a culpa. Por que fiz isso? Tudo por amor. Nunca prejudiquei ela em nada. Eu queria era fazer essa "ladaia" toda para depois ir lá e salvar ela — diz o homem, em um áudio ao qual GaúchaZH teve acesso e que é usado como prova pela polícia.

O áudio foi levado aos policiais, que também descobriram que o homem adquiriu as drogas e as colocou no carro da ex-companheira. Outras ações dele contra a estudante também foram reveladas, como mensagens difamatórias que enviava para a chefe dela e até ameaças. Por isso, a vítima solicitou medida protetiva contra o suspeito.

GaúchaZH não divulga o nome do homem para preservar a vítima. 

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho  

"Parece coisa de novela"

O delegado Ivair Matos afirma que o eletricista possui antecedentes por um homicídio ocorrido em São Leopoldo. Além disso, se diz surpreso com o desfecho da história.

— Em 20 anos de polícia, nunca tinha visto uma armação de um ex-marido para prender a ex-mulher e ser o salvador da pátria, livrar ela. Parece coisa de novela — afirma Matos.

Ainda assustada, a vítima prefere não ser identificada. Teme que familiares do homem a ameacem pela divulgação dos fatos. Ela conta que estava há 3 anos com ele e que, inclusive, moravam juntos em uma casa em Rolante.

A residência foi destruída em um incêndio no dia 12 de outubro. Além de perder a casa, a jovem também foi demitida do emprego que tinha em uma cervejaria.

— Foi horrível o que aconteceu. Estou perdida — lamenta. 

O inquérito policial foi encerrado pela Polícia Civil com indiciamento do homem por tráfico de drogas, denunciação caluniosa, ameaça, injúria e difamação.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho  



 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros