Polícia já tem suspeito de matar índio a pauladas em praia de SC - Polícia

Versão mobile

 

Violência04/01/2018 | 15h17Atualizada em 04/01/2018 | 15h17

Polícia já tem suspeito de matar índio a pauladas em praia de SC

Investigadores tiveram acesso a imagens de câmeras de vigilância e ouviram testemunhas

Polícia já tem suspeito de matar índio a pauladas em praia de SC Reprodução/Divulgação
Foto: Reprodução / Divulgação

A Polícia Civil de Balneário Piçarras, em Santa Catarina, está investigando a morte do professor indígena Marcondes Nambla, 36 anos, espancado na cidade vizinha de Penha, na madrugada de 1º de janeiro. Segundo o delegado Douglas Teixeira Barroco, o inquérito já foi instaurado.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho 

Na quarta-feira (3), a polícia ouviu testemunhas do caso e teve acesso ao vídeo que comprova o espancamento. Barroco descarta a tese de latrocínio (roubo com morte). O delegado diz também já ter um suspeito pelo crime, mas a princípio não se sabe qual foi a motivação.

— Foi uma agressão mesmo, algo brutal, mas, a princípio, não temos nenhum motivo aparente — disse o delegado.

O crime

A câmera de monitoramento de uma loja de material de construção em Penha filmou a agressão. Nas imagens, é possível ver um homem na esquina com um cachorro e um pedaço de madeira na mão. Ele anda de um lado paro outro sem parar até que Marcondes aparece. Eles conversam rapidamente e quando o professor vira de costas o agressor dá uma pancada na cabeça dele com a madeira. Marcondes cai no chão e continua sendo espancado com o pedaço de madeira até o agressor fugir.

De acordo com informações da amiga e parceira de trabalho da vítima, Janaina Hubner, o colega teria ido trabalhar com um grupo no Litoral, para vender picolé. Marcondes havia saído sozinho para caminhar e ver a festa de Réveillon, mas não retornou. No dia seguinte, os companheiros descobriram que ele estava no hospital.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros