Templo que teria sido usado para ritual satânico com crianças tem pentagrama no portão e fica em local afastado - Polícia

Versão mobile

 

Região Metropolitana04/01/2018 | 15h20Atualizada em 04/01/2018 | 15h20

Templo que teria sido usado para ritual satânico com crianças tem pentagrama no portão e fica em local afastado

Operação Revelação investiga caso de corpos esquartejados de irmãos encontrados em terreno em Novo Hamburgo, em setembro de 2017

Templo que teria sido usado para ritual satânico com crianças tem pentagrama no portão e fica em local afastado Félix Zucco/Agencia RBS
Templo de líder de rituais preso na semana passada fica em local afastado na Região Metropolitana Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

A casa onde fica o templo do bruxo preso pela polícia, onde supostamente teria ocorrido o ritual em que as crianças foram sacrificadas, fica em uma estrada erma de chão batido na Região Metropolitana — a cidade é mantida em sigilo para preservar as investigações.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho   

Com poucas moradias no entorno, a residência na cor laranja é cercada por mato. À frente, um portão preto exibe um pentagrama, uma estrela composta por cinco retas e cinco pontas, que possui diversos significados, desde mitológico, matemático e até na magia. 

 GRAVATAÍ, RS, BRASIL, 04-01-2018: Fotos do portão e de casa ligada ao bruxo Silvio Fernandes Rodrigues, suspeito de assassinatos de crianças em rituais satânicos na cidade de Novo Hamburgo (FOTO FÉLIX ZUCCO/AGÊNCIA RBS, Editoria de Notícias).
Casa laranja fica em terreno arborizado às margens de uma estrada de chãoFoto: Félix Zucco / Agencia RBS

Um vizinho confirmou que o bruxo mora ali e que o viu "até o final do ano passado" no local. Nesta quinta-feira (3), a reportagem localizou três cachorros no pátio da casa, mas nenhum morador. As janelas e portas estavam fechadas.

O templo tem CNPJ e já teve sede em Porto Alegre. Vizinhos da casa abandonada na zona norte da Capital confirmaram que o bruxo morou e fez rituais no local por algum tempo, mas que se mudou há cerca de um ano.

— A gente via de tudo ali. Ouvia, também. E todo tipo de pessoa frequentava. Pagavam um dinheirão. Um dia, uma mulher me disse que pagaram R$ 10 mil — contou um homem que trabalha nas redondezas.

A casa em Porto Alegre, que na época das bruxarias tinha duas águias de cimento nas laterais do portão de acesso, chegou a ser colocada à venda, mas a placa do anúncio teria caído. 

Nesta quinta-feira (4),  o delegado Moacir Fermino, que está coordenando a investigação, informou que a suspeita é de que as duas crianças podem ser argentinas, já que um dos suspeitos é natural do país vizinho.

Segundo o delegado, peritos especialistas em genoma serão consultados para avaliar o DNA dos irmãos, em busca de características como traços indígenas ou semelhanças a argentinos. 

Na semana passada, três pessoas foram presas. Entre elas, está o suposto líder do grupo, identificado como "mestre e bruxo". Conforme o delegado, que prefere preservar o nome do suspeito para não atrapalhar as investigações, o preso é uma referência no país e na América Latina em termos de magia negra. Ele seria adorador do deus Moloch, nome de um demônio na tradição cristã e cabalística. Os fiéis dessa divindade realizariam sacrifícios com crianças desde a antiguidade. 

Revelação: o nome da operação

Os investigadores de Novo Hamburgo deram o nome de Revelação à operação que investiga o esquartejamento de duas crianças, cujos corpos foram encontrados em setembro na Lomba Grande.

As "revelações", explica o delegado Moacir Fermino, acontecem quando Deus se comunica com Seus filhos. Os fiéis acreditam que quando o Senhor revela Sua vontade, Ele fala por intermédio de profetas. Fermino acredita que a verdade sobre o caso foi "revelada" a ele e aos policiais, por isso, o nome da operação.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho   


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros