Clientes de pizzaria foram mortos por atirador após discussão por ketchup, diz polícia - Polícia

Versão mobile

 

Investigação em Alvorada28/03/2018 | 14h07Atualizada em 28/03/2018 | 14h07

Clientes de pizzaria foram mortos por atirador após discussão por ketchup, diz polícia

Segundo testemunhas relataram, disparos teriam partido de um segurança do estabelecimento

A Delegacia de Homicídios de Alvorada  tem convicção de que uma discussão por sachês de ketchup motivou o assassinato de dois homens em frente à Pizzaria do Alemão, na parada 57, em Alvorada, na noite do último domingo (25). Fábio Guimarães Bandeira, 34 anos, morreu no local, e Luís Fernando de Ávila, 32, morreu após ser socorrido. Aurimar Lima Alvarenga, 43, segue internado no Hospital de Alvorada. Nenhum deles tem antecedentes criminais graves.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho   

 Conforme o delegado Edimar Machado, relatos de testemunhas dão conta de que o autor do crime seria um segurança da pizzaria.  O grupo alvo do ataque era formado por cinco pessoas que entraram no estabelecimento para comprar uma pizza, que levariam para casa. 

Os dois homens que não ficaram feridos prestaram depoimento à polícia. Eles informaram que, na saída, pegaram sachês de ketchup de uma mesa para levar, mas um segurança teria dito que os sachês deveriam ter sido retirados de outro local. Para a polícia, já há certeza da motivação:

— As vítimas são pessoas de bem, não teriam por que inventar essa história. É uma estupidez, um crime banal, aliado a uma pessoa despreparada com uma arma de fogo. Estamos ouvindo mais testemunhas para identificar quem foi o autor do disparo – diz o delegado.

O dono da pizzaria e a mulher iriam prestar depoimento na segunda-feira (26), mas devem falar à polícia nesta quarta acompanhados de advogado. A polícia também está ouvindo funcionários do estabelecimento, mas não revela detalhes.

É uma estupidez, um crime banal

EDIMAR MACHADO

Delegado

Câmeras de segurança de um mercado próximo analisadas não forneceram detalhes que ajudem na investigação. As câmeras da pizzaria, pelo que a polícia apurou até agora, não armazenavam as imagens — serviam apenas para monitoramento. A arma usada no crime não foi encontrada. A polícia suspeita de que tenha sido um revólver.

O delegado ainda não sabe quem seria o autor do disparo, que não se apresentou à polícia. À reportagem, o dono da pizzaria disse no começo da semana que o estabelecimento não possui segurança e que não houve nenhuma discussão no local. Ele contou também que chegou ao estabelecimento minutos depois dos disparos.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho   

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros