Corpo encontrado em Rio Grande é de universitário desaparecido - Polícia

Versão mobile

 

Sul do RS20/03/2018 | 12h13Atualizada em 20/03/2018 | 12h13

Corpo encontrado em Rio Grande é de universitário desaparecido

Lucas Camargo, 22 anos, havia sumido na sexta-feira (16) e foi reconhecido pela mãe

Corpo encontrado em Rio Grande é de universitário desaparecido Arquivo pessoal/Arquivo pessoal
Lucas Camargo era procurado desde sexta-feira, quando saiu de casa sem carteira nem celular Foto: Arquivo pessoal / Arquivo pessoal

O corpo localizado na tarde de segunda-feira (19) nos molhes da Barra, na praia do Cassino, foi identificado como o universitário Lucas Camargo, 22 anos, que estava desaparecido desde sexta-feira (16). Após três dias de buscas e muita mobilização entre a família e os colegas do universitário, a mãe de Lucas esteve no local e reconheceu o filho após a retirada do corpo do mar. A Polícia Civil aguarda o fim dos trabalhos da perícia para concluir a investigação.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho   

A delegada Lígia Furlanetto, responsável pela investigação, confirma que o corpo foi encontrado sem marcas aparentes de violência. Segundo ela, outros indícios que apontam para a identidade do jovem são o estado de decomposição do corpo — compatível com a data do desaparecimento de Lucas — e também a existência de imagens do jovem descendo de um ônibus no Balneário Cassino nos primeiros minutos do sábado (17). No bolso da calça foram encontradas suas chaves e o cartão de ônibus, o único documento que carregou consigo ao deixar seu apartamento no centro de Rio Grande.

Lucas desapareceu na sexta-feira (16) com a roupa do corpo, sem carteira nem celular. Mais cedo havia almoçado com colegas de faculdade — que chegaram a estranhar o seu comportamento, "calado e muito aéreo" —, passou a tarde em casa vendo filmes e, à noite, foi visto em um ônibus por uma colega.

Anotações de despedida

A mãe de Lucas, Tatiana Camargo, contou que o filho havia terminado um relacionamento há um mês, mas dizia à família sentir-se bem. Tatiana relata que ficou preocupada, mas que já tinha um encontro marcado para aconselhar melhor e entender a situação do filho. Em abril, Lucas prestaria prova para um concurso em São Paulo e teria a oportunidade, depois de quatro anos, de passar o aniversário com a família.

A mãe revelou que encontrou tópicos escritos em uma agenda do filho com tom de despedida e que seus últimos acessos no computador eram de pesquisas relacionadas ao suicídio.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho   

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros