Força-tarefa tenta desvendar desaparecimento de menina de 7 anos em Caxias do Sul - Polícia

Versão mobile

 

Reforço policial13/03/2018 | 10h52Atualizada em 13/03/2018 | 10h52

Força-tarefa tenta desvendar desaparecimento de menina de 7 anos em Caxias do Sul

Criança saiu de casa para ir à escola na última sexta-feira (9)

Força-tarefa tenta desvendar desaparecimento de menina de 7 anos em Caxias do Sul Arquivo pessoal/Arquivo pessoal
Nayara Soares Gomes, 7 anos, não chegou ao colégio e não retornou para casa Foto: Arquivo pessoal / Arquivo pessoal

No quarto dia sem informações sobre Nayara Soares Gomes, 7 anos, que desapareceu no trajeto  para escola na manhã de sexta-feira (9), a Polícia Civil de Caxias do Sul, na Serra, mobiliza uma força-tarefa para esclarecer o que aconteceu com a criança. Mais investigadores reforçaram a equipe da Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA) e os setores de inteligências de outras delegacias também buscam informações sobre o paradeiro da menina. A Guarda Municipal e a Brigada Militar colocaram servidores à disposição. A investigação ainda está cercada de mistérios

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho  

— Estamos fazendo tudo que é possível. Estamos disponibilizando mais investigadores (para a DPCA). Mas toda a (Polícia Civil de) Caxias está mobilizada e os demais policiais estão prontos para agir diante de qualquer informação. Iremos esclarecer. O problema é que as informações ainda estão muito desencontradas. Todos nossos servidores estão atentos — garante o delegado regional Paulo Roberto Rosa da Silva.

A maioria dos registros de desaparecimentos de crianças em Caxias do Sul, segundo a polícia, tem relação com a disputa da guarda entre a família e, assim, logo o caso é solucionado. O período de mais de 90 horas sem informações intriga a polícia.

— Continuamos trabalhando de forma ininterrupta e estamos formando uma força-tarefa para intensificar as buscas. Além da parceira com outros órgãos, recebemos reforços de policiais de outras delegacias e estamos verificando todas as informações que chegam — garante o delegado Caio Márcio Fernandes, titular da DPCA.

Diante das dificuldades, os líderes da Polícia Civil ressaltam a importância das informações repassadas pela comunidade. Todos os meios de comunicação utilizados pelas polícias estão preparados e disponibilizados para receber informações. Não é preciso se identificar para auxiliar nas investigações.

Como ajudar 

Ao sair de casa, na última sexta-feira, Nayara vestia camiseta rosa com desenho de uma boneca, blusão rosa com branco e calça rosa. Ela carregava uma mochila nas cores rosa e roxo. A menina é magra e tem em torno de 1m20cm de altura. O cabelo é escuro e está cortado na altura dos ombros.

A mãe de Nayara mora em Vacaria e, ainda no sábado, a Polícia Civil realizou buscas naquela cidade. Em princípio, nada foi descoberto e as investigações retornaram para Caxias do Sul. 

Onde repassar informações


(54) 3221-6028 - DPCA,  em horário comercial
(54) 98408-9935 - aplicativo Whatsapp da DPCA
(54) 3238-7700 - Central de Polícia (atendimento 24 horas)
197 - Disque-denúncia da Polícia Civil
190 - Brigada Militar

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho  


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros