Grupo é preso por sequestrar e usar casal como escudo humano durante execução de rivais - Polícia

Versão mobile

 

Barbárie22/03/2018 | 10h54Atualizada em 22/03/2018 | 10h54

Grupo é preso por sequestrar e usar casal como escudo humano durante execução de rivais

Casal foi mantido em cativeiro por cerca de 12 horas na Vila Maria da Conceição, em Porto Alegre

 

Grupo é preso por sequestrar e usar casal como escudo humano durante execução de rivais em Porto Alegre
Polícia apreendeu armas e drogasFoto: Polícia Civil / Divulgação

A Polícia Civil prendeu três pessoas e apreendeu um adolescente suspeitos de terem sequestrado um casal e terem usado as vítimas como escudo humano para matar rivais na Vila Maria da Conceição, em Porto Alegre. Também foram apreendidos dois veículos roubados com placas clonadas, três pistolas de calibre 9 milímetros, dois revólveres de calibre .38 e dois tijolos de maconha. A prisão foi feita na quarta-feira (21) e divulgada pela polícia nesta quinta-feira (22).

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho   

Conforme o delegado Rodrigo Reis, da 1ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, o casal de cerca de 30 anos foi sequestrado aleatoriamente por volta das 22h da última terça, quando caminhava pela Rua Pedro Boticário, no bairro Partenon. Oito criminosos colocaram as vítimas dentro de um veículo e usaram o casal como escudo humano para invadir a Vila Conceição e matar dois desafetos, na região da Pedreira.

— Foi parecido com o que fazem em ataques a banco, utilizando as vítimas como escudo humano. O casal ficou apavorado e teve que assistir a toda a ação, em que os rivais foram amarrados e executados com armas de fogo. A quadrilha foi expulsa dali quando o líder deles, o Colete, morreu, e agora está tentando retomar o espaço — explica o delegado.

O casal foi mantido em cativeiro entre 23h de terça e 11h de quarta-feira, quando bandidos ouviram um barulho de sirene — não se sabe se foi uma ambulância ou uma viatura que passou pelo local. Pensando que era a polícia, os criminosos deixaram a residência temporariamente, e as vítimas aproveitaram o momento para fugir e chamar a Brigada Militar.

— Eles estavam muito assustados, abalados. Nem conseguiram nos fornecer nenhuma informação sobre a região ou a casa onde estavam. Eles passaram a noite inteira acordados e sendo ameaçados — relata o delegado.

Os policiais civis e militares abordaram moradores e encontraram uma casa onde uma mulher alegou estar sozinha. Minutos depois, passaram pela mesma casa e viram um homem dentro. Em seguida, os policiais avistaram o grupo, que havia invadido a casa, tentando fugir pulando um dos muros. O grupo foi preso em flagrante por porte ilegal de arma, tráfico de drogas, formação de quadrilha e receptação.

O casal vítima do crime será ouvido novamente, e a polícia segue tentando identificar outros envolvidos no sequestro.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho   

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros