Empresa começa instalação de cabos das antenas para bloquear sinal de celulares em penitenciária - Polícia

Versão mobile

 

Sistema prisional10/04/2018 | 14h56Atualizada em 10/04/2018 | 14h57

Empresa começa instalação de cabos das antenas para bloquear sinal de celulares em penitenciária

Proposta é evitar o contato telefônico de presos com pessoas que vivem fora das cadeias e impossibilitar que, a partir de ligações, crimes sejam coordenados por detentos

Empresa começa instalação de cabos das antenas para bloquear sinal de celulares em penitenciária Ronaldo Bernardi/Agencia RBS
Técnicos trabalham com fios nesta terça-feira (10) na prisão da Região Metropolitana Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Após uma semana do anúncio, começou a instalação dos cabos para as antenas dos bloqueadores de sinal de celular no complexo prisional de Canoas, formado por quatro penitenciárias, na região metropolitana de Porto Alegre. Por mês, o governo vai pagar
R$ 122 mil à empresa Coringa para o aluguel do equipamento e manutenção do serviço.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho   

O trabalho se iniciou pela Penitenciária Estadual de Canoas 1, conhecida por Pecan 1, em funcionamento há dois anos e que fica em área mais elevada do terreno em relação às outras três casas prisionais. Nesta terça-feira (10), dois técnicos foram ao local e começaram a passar os fios, que serão protegidos por encanamento de ferro.

Segundo o diretor substituto da penitenciária, Marcionei Rosa, o trabalho com os fios deve levar 15 dias. Ao todo, serão afixados 5 mil metros de cabos, similar aos utilizados para conexão de internet, nas partes interna e externa da casa prisional.

Está é a segunda fase da instalação. A primeira foi a elaboração do projeto, que serve como base para posicionar os fios. A terceira e última etapa é a colocação das antenas.

Apenas o setor administrativo, que fica na parte da frente da penitenciária, ficará fora do "cinturão" para bloqueio do sinal. Ao todo, serão instaladas 20 antenas na Pecan 1. A proposta é evitar o contato telefônico de presos com pessoas fora do sistema prisional e impossibilitar que, a partir de uma ligação, crimes sejam coordenados de dentro das prisões.

Conforme o diretor da Pecan 1, há 370 detentos na penitenciária. O número é considerado abaixo da capacidade máxima, de 397 presos.

 CANOAS,RS.BRASIL.2018-04-10- Preparativos para instalação de bloqueadores de sinal de celular, no presidio de Canoas.(RONALDO BERNARDI/AGENCIA RBS).
Após projeto, técnicos instalam cabos que vão conectar o sistema de bloqueadores de sinal de celularFoto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Ainda não há previsão para o início do cabeamento nas outras três penitenciárias. Segundo os técnicos, que preferiram não se identificar, o projeto ainda não foi finalizado para o restante do complexo, que tem mais de 7 mil metros de área construída. Nas três prisões, serão instaladas outras 60 antenas.

Sistema deve estar operando até 28 de abril

O titular da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), Ângelo Carneiro, observa que a empresa tem 45 dias para colocar o sistema em funcionamento a partir de 14 de março, quando foi assinado o contrato. Ou seja, o prazo final é 28 de abril. Os bloqueadores devem se estender para todos as operadoras e não podem provocar o corte do sinal das residências próximas.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros