Mulher morre e seis ficam feridos após tiroteio em frente a baile funk em Porto Alegre - Polícia

Versão mobile

 

Zona Leste09/04/2018 | 07h27Atualizada em 09/04/2018 | 07h27

Mulher morre e seis ficam feridos após tiroteio em frente a baile funk em Porto Alegre

Conforme a Delegacia de Homicídios, vítima foi identificada como Juciane Araldi

Uma mulher morreu e seis pessoas ficaram feridas em frente a um baile funk na Avenida Antonio de Carvalho, na zona leste de Porto Alegre, na madrugada deste domingo (8). Conforme a Delegacia de Homicídios, a vítima foi identificada como Juciane Araldi, 34 anos.

Testemunhas relataram à polícia que viram quando ocupantes de um carro passaram pelo local e deram início ao tiroteio.

Leia mais
Proprietários de bar e cliente são executados a tiros em Viamão
VÍDEO: câmera flagra execução de casal em mercado de Viamão
Assaltante é morto pela polícia enquanto fazia cliente de refém, em loja na zona leste de Porto Alegre
Todos os assassinatos em Porto Alegre desde 2011

Os disparos atingiram pessoas que estavam na rua e no baile funk. Segundo a Brigada Militar, a mulher foi alvejada na perna direita e chegou a ser levada para atendimento médico em um hospital, mas acabou morrendo. Sobre os outros feridos, a BM não soube informar para quais instituições foram levados e nem o estado de saúde deles.

A investigação ficará com a 5ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa da Capital.


href="https://gauchazh.clicrbs.com.br/seguranca/noticia/2018/04/assaltante-e-morto-pela-policia-enquanto-fazia-cliente-de-refem-em-loja-na-zona-leste-de-porto-alegre-cjflicc9h05y101phfzuz0mb4.html">Assaltante é morto pela polícia enquanto fazia cliente de refém, em loja na zona leste de Porto Alegre
Todos os assassinatos em Porto Alegre desde 2011

Os disparos atingiram pessoas que estavam na rua e no baile funk. Segundo a Brigada Militar, a mulher foi alvejada na perna direita e chegou a ser levada para atendimento médico em um hospital, mas acabou morrendo. Sobre os outros feridos, a BM não soube informar para quais instituições foram levados e nem o estado de saúde deles.

A investigação ficará com a 5ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa da Capital.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros