Com falta de combustível nos postos, polícias priorizam atendimentos de urgência - Polícia

Versão mobile

 

Greve dos caminhoneiros24/05/2018 | 13h26Atualizada em 24/05/2018 | 13h26

Com falta de combustível nos postos, polícias priorizam atendimentos de urgência

Chefe de Polícia Civil pediu que viaturas ganhem prioridade nas filas em postos de gasolina

Com falta de combustível nos postos, polícias priorizam atendimentos de urgência Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

A falta de combustível em postos do Rio Grande do Sul por conta da greve dos caminhoneiros já afeta a rotina das polícias gaúchas. Para economizar gasolina, a Brigada Militar (BM) determinou que as viaturas se mantenham mais em pontos fixos, reduzindo a quilometragem percorrida nos bairros. Já a Polícia Civil determinou que os agentes deem prioridade a prisões e ao atendimento a cenas de crime.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho   

 O coronel Jefferson Jaques, do Comando de Policiamento da Capital da Brigada Militar, afirma que "determinou medidas de economia de combustível" para a tropa em Porto Alegre. Uma das ações será reduzir a circulação das viaturas em bairros, utilizando mais os pontos fixos. 

— Não tem notícia de falta de combustível até agora. Ontem de noite (quarta), pedimos para que todas as viaturas fossem abastecidas — diz o oficial. 

Jacques reconhece que algumas viaturas que são do patrulhamento reduziram os deslocamentos de rotina e ficaram destinadas exclusivamente a atendimentos após solicitações ao 190. De acordo com ele, a demanda dos últimos dias reduziu devido ao frio que afeta o Rio Grande do Sul, o que ajuda a poupar combustível. 

O chefe da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, delegado Emerson Wendt, disse que foi dada uma orientação para todas as unidades abastecerem os veículos na noite de quarta-feira (24). Ainda assim, há uma preocupação interna de que as viaturas fiquem sem combustível. Por isso, as atividades foram readequadas na polícia e aquelas consideradas de menor urgência são deixadas de lado.

— Orientamos que atividades de caráter social fiquem para outro momento e priorizar questões operacionais, como priorizar local de crime, prisões — comenta o chefe de polícia. 

Wendt também pediu que seja dada prioridade a viaturas das forças da segurança pública gaúcha nas filas dos postos que ainda possuem combustível disponível. 

— Se as pessoas querem a continuidade da segurança seria de bom senso deixar passar uma viatura para abastecer, por exemplo, por que poderemos auxiliar na sequência — afirma. 

Confira nota oficial da Brigada Militar: 

O Comando-Geral da Brigada Militar,  frente ao abastecimento de combustível de nossas viaturas, vem a público informar que está administrando os recursos da corporação para que a população não sinta nenhuma solução de continuidade no seu atendimento.

Por outro lado, confiando que a situação logo será resolvida, pedimos à população que se mantenha tranquila pois a Brigada Militar vai fazer o que sempre tem feito: a segurança de todos os gaúchos.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros