Um mês após morte de motorista do Uber, polícia descarta hipótese de latrocínio - Polícia

Versão mobile

 

Região Metropolitana14/05/2018 | 11h07Atualizada em 14/05/2018 | 11h07

Um mês após morte de motorista do Uber, polícia descarta hipótese de latrocínio

Homem foi encontrado morto em Viamão 14 dias após o desaparecimento. Segundo delegada, "a certeza é de que se trata de um assassinato"

 A morte do motorista do Uber Douglas Rafael Aguiar, 32 anos, completou um mês no último domingo (13), sem que os suspeitos do crime tenham sido presos. Segundo a polícia, Douglas foi morto no mesmo dia que desapareceu na cidade de Viamão. O corpo foi localizado 14 dias depois por cães farejadores às margens da RS-118. O laudo da perícia que aponta a causa da morte ainda não foi concluído.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho   

Apesar de o carro, uma SpaceFox preta, e o telefone celular da vítima não terem sido encontrados, a polícia descartou a hipótese de latrocínio (roubo com morte). A delegada Caroline Jacobs, da Delegacia de Homicídios de Viamão, diz que as investigações estão adiantadas, que o trabalho foi intenso para localizar o corpo e que agora procura os autores.

— Nós trabalhamos com algumas linhas de investigação. A certeza é de que se trata de um assassinato e já temos alguns nomes. Não podemos falar mais nada pois o inquérito corre em sigilo — disse a delegada.

O motorista desapareceu após encerrar o trabalho junto ao aplicativo. O corpo foi encontrado enrolado em cobertores e dentro de um saco plástico em um matagal às margens da RS-118. A vítima não tinha antecedentes criminais.

 Leia outras notícias do Diário Gaúcho   


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros