"Quero esquecer tudo o que aconteceu", conta vítima de golpe do book fotográfico - Polícia

Versão mobile

 

ESTELIONATO30/10/2018 | 21h58Atualizada em 30/10/2018 | 21h58

"Quero esquecer tudo o que aconteceu", conta vítima de golpe do book fotográfico

Idosa, que entregou R$ 1,5 mil aos estelionatários, afirma ter medo de registrar ocorrência 

"Quero esquecer tudo o que aconteceu", conta vítima de golpe do book fotográfico Mateus Bruxel/Agencia RBS
Policiais cumpriram 15 mandados em operação contra esse tipo de crime na Capital Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS
GaúchaZH
GaúchaZH

— Oi linda, vamos fazer umas fotos de graça pra colocar no Facebook?

 Assim começa a execução do chamado golpe do book fotográfico, alvo da Operação 15x21, deflagrada pela Polícia Civil manhã desta terça-feira (30) em Porto Alegre. Foi o caso vivido por uma aposentada, de 69 anos, que prefere não se identificar. 

Após desembolsar R$ 1,5 mil por fotos prometidas como gratuitas, ela relata ter medo de procurar as autoridades para registrar ocorrência do crime. 

Leia mais
Polícia deflagra operação contra golpe da foto aplicado em idosos
RS tem 55 vítimas de estelionatários por dia
Saiba como evitar o golpe do bilhete premiado

— Quero apenas pagar o que me cobraram e esquecer tudo o que aconteceu — afirma. 

Segundo um familiar, a idosa foi abordada enquanto caminhava pela Rua Doutor Flores, no centro da Capital, quando um menino a segurou pelo braço, convidando-a para fazer as fotos. A idosa hesitou, mas o estelionatário insistiu: 

— Mas tu é muito bonita e fotogênica, não vai demorar. 

Depois que aceitou fazer o book, a vítima foi levada para um estúdio fotográfico, onde algumas pessoas a esperavam. Ali, foi maquiada e recebeu diversos elogios, enquanto um suposto "contrato de isenção" lhe foi apresentado. O papel deveria ser assinado às pressas e no verso da folha. Do outro lado, estava o valor do serviço — cada foto custaria R$ 50.

A partir daí, a sessão de fotos se iniciou. Dezenas de retratos foram feitos, seguidos pela surpreendente cobrança: R$ 3 mil. 

— Tuas fotos ficaram ótimas, posso fazer um desconto, dependendo da forma de pagamento — completou o golpista. 

Nesse momento, a vítima — que estava sozinha com os criminosos — começou a se sentir pressionada. Acabou pagando R$ 1,5 mil parcelados no cartão de crédito.

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 30-10-2018: Operação da Polícia Civil em estúdios fotográficos na região central que aplicavam golpe em idosas. (Foto: Mateus Bruxel / Agência RBS)
Buscas em estúdios dentro de galerias Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

— Eles vão fazendo aquela barganha, e aí os ânimos mudam, as pessoas não são mais tão simpáticas — explica o familiar, que foi até o local, na companhia da idosa, tentar reaver o dinheiro. 

Ao rapaz, os estelionatários teriam dito que já haviam entregue um CD com todas as fotos para a vítima. Mostraram a ele um documento assinado pela vítima e disseram que ela havia consentido. No dia em que buscou o ressarcimento, ele presenciou mais uma idosa entrando no local. 

— Se permaneci ali por minutos e já vi outra pessoa entrar, imagino que o número de idosas iludidas diariamente deve ser espantoso — constata.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros