Tortura, espancamento e morte: a confissão do homem que assassinou a companheira grávida em Rio Grande - Polícia

Versão mobile

 

Sul do RS19/10/2018 | 20h44Atualizada em 19/10/2018 | 21h46

Tortura, espancamento e morte: a confissão do homem que assassinou a companheira grávida em Rio Grande

 Natanael Nunes Domingues admitiu em depoimento ter matado Fabiane Desidere Lopes por ciúme

Tortura, espancamento e morte: a confissão do homem que assassinou a companheira grávida em Rio Grande Polícia Civil/Divulgação
Fabiane Desidere Lopes tinha cinco filhos Foto: Polícia Civil / Divulgação

A briga do casal se arrastou por horas na última quarta-feira (17) em Rio Grande, no sul do Estado. Vizinhos ouviram os gritos da mulher, que estaria grávida, mas como as discussões entre os dois eram rotineiras, não se preocuparam. Também tinham medo de alguma retaliação já que pessoas próximas a Natanael Nunes Domingues, 26 anos, tinham envolvimento com o tráfico de drogas e eram consideradas perigosas. 

Leia mais
Grávida morre após ser torturada por companheiro em Rio Grande
Mulher grávida torturada até a morte havia registrado ocorrência contra o companheiro
Marido suspeito de planejar a morte da esposa vai a júri 

Após agredir Fabiane Desidere Lopes, 28 anos, o homem a colocou em um táxi com destino ao Hospital Santa Casa. Durante o caminho, ele tentava se explicar para o motorista. Primeiro, relatou que ela teria caído de uma escada. Depois, falou que tentou evitar um aborto da criança que crescia no ventre da mulher. Durante o percurso, batia no rosto de Fabiane para mantê-la acordada. Segundo depoimento do taxista à polícia, o rosto da mulher estava desfigurado. 

Ao chegar ao hospital, Domingues a colocou em uma cadeira e a deixou agonizando. Em seguida, fugiu. A equipe médica ainda correu para atender a mulher, mas ela já estava sem vida. O delegado Roberto Sahagoff, que responde pela Delegacia da Mulher interinamente, suspeita que dali o homem tenha voltado para a casa e tentado limpar a cena do crime. Poças de água foram encontradas espalhadas pela residência e um ventilador foi encontrado ligado. O delegado acredita que o trabalho foi interrompido quando o homem percebeu que não conseguiria esconder o horror que Fabiane tinha passado ali dentro. 

Quando os investigadores chegaram ao local, horas depois, havia muito sangue e tufos de cabelo espalhados pela casa. Conforme a Polícia Civil, a vítima teve quase todo o cabelo arrancado e foi praticamente mutilada por intensos golpes de faca e outros tipos de violência como socos e pontapés. A violência do crime surpreendeu o delegado.

— O crime chama a atenção pela crueldade com que foi executado. Ela foi torturada por horas, imagino que por uma noite toda. A casa foi encontrada com sangue em praticamente todos os cômodos. Havia facadas inclusive na vagina. É um dos casos mais perversos que já vi  - afirma o delegado.

A polícia entende que os ferimentos efetuados nas partes íntimas da vítima denunciam que não haveria preocupação com um possível aborto por parte do agressor.

O homem foi preso preventivamente no dia seguinte na casa de sua mãe, no mesmo bairro onde ocorreu o crime. Em depoimento à polícia, confessou que matou a mulher após ter descoberto uma suspeita traição. Afirmou ainda que estava sob efeito de drogas. 

Além de Domingues, dois irmãos dele foram presos em flagrante por posse de arma e tráfico de drogas. Com eles foram encontrados um revólver calibre 38 carregado, 50 gramas de crack e 200 gramas de cocaína, celulares e outros objetos. A polícia suspeita que os dois irmãos abasteciam Domingues com drogas. 

No ano passado, Fabiane havia feito registro por ameaça contra Natanael, mas acabou retirando a denúncia durante a audiência, depois de retomar o relacionamento. O casal estava juntos há quatro anos. Fabiane tinha cinco filhos, mas a polícia desconhecia se todos eram do mesmo pai. Segundo o delegado, o homem também é suspeito de esfaquear outra pessoa em Rio Grande.

Segundo feminicídio na cidade

Este foi o segundo feminicídio deste ano em Rio Grande. Na delegacia especializada no atendimento à mulher na cidade, já foram registradas mais de 1,2 mil ocorrências em 2018, a maioria por lesão corporal.


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros