Unidade de saúde assaltada na zona norte de Porto Alegre deve reabrir na terça-feira - Polícia

Versão mobile

 

Reforço na segurança29/10/2018 | 18h39Atualizada em 29/10/2018 | 18h40

Unidade de saúde assaltada na zona norte de Porto Alegre deve reabrir na terça-feira

Retorno dos serviços foi acordado nesta segunda-feira, após reunião entre funcionários, gerência do local e agentes de segurança

Unidade de saúde assaltada na zona norte de Porto Alegre deve reabrir na terça-feira Ronaldo Bernardi/Agência RBS
Unidade Barão de Bagé ficará seis dias fechada Foto: Ronaldo Bernardi / Agência RBS

A Unidade de Saúde Barão de Bagé, assaltada na última quarta-feira (24) no bairro Vila Jardim, zona norte de Porto Alegre, passará mais um dia fechada e reabrirá somente na manhã de terça-feira (30). Em uma reunião na manhã desta segunda entre funcionários e a gerência do posto, comandado pelo Grupo Hospitalar Conceição, foi decidido pela reabertura somente na terça, com reforço na segurança.

Segundo o gerente de saúde comunitária do Grupo Hospitalar Conceição, Antônio Selistre, o posto aumentará o número de vigilantes por turno, passando a ter dois seguranças pela manhã e dois à tarde. Além disso, a Brigada Militar e a Guarda Municipal se comprometeram a reforçar o efetivo no entorno do posto. Os funcionários passarão nesta segunda por avaliação de saúde, para serem liberados a voltar ao trabalho. O prédio também passará por pequenas reformas estruturais, para aumentar a segurança no local.

Leia mais
Após assalto, posto de saúde não abre para atendimento em Porto Alegre
Posto de saúde é assaltado na zona norte de Porto Alegre
Prefeitura de Porto Alegre receberá mais R$ 31 milhões por ano para a saúde

O posto, que atende cerca de 300 pacientes por dia, foi alvo de um assalto em plena luz do dia, na quarta-feira. O roubo ocorreu por volta das 15h. Um trio de criminosos entrou pela parte dos fundos e rendeu um vigilante, que estava desarmado. Depois, o grupo passou de sala em sala, mandando pacientes deitarem e passarem os celulares. Além disso, os assaltantes exigiam a entrega de um carro - caso contrário, levariam uma pessoa como refém. O veículo acabou sendo entregue e nenhum refém foi levado.

Segundo a Polícia Civil, havia cerca de 25 funcionários e 15 pacientes no local durante o assalto. De acordo com uma testemunha, que pediu para não ser identificada, uma médica foi atingida por uma coronhada desferida pelos criminosos. 

 A Secretaria Municipal de Saúde afirma que foram roubados coletes dos agentes municipais de saúde que trabalham no posto. Por isso, a pasta alerta para que os moradores peçam o crachá dos agentes que visitam suas residências, para evitar golpes. 

O comandante do 11º Batalhão de Polícia Militar (BPM), tenente-coronel Douglas Soares, garantiu que reforçará o patrulhamento na região, mesmo com a suspensão do atendimento. Ninguém foi preso após o roubo.

A 14ª Delegacia de Polícia da Polícia Civil investiga o caso.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros