Motorista frequentava diariamente padaria onde foi morto ao reagir a assalto - Polícia

Versão mobile

 

Porto Alegre06/11/2018 | 21h27Atualizada em 06/11/2018 | 21h27

Motorista frequentava diariamente padaria onde foi morto ao reagir a assalto

 Adão Antunes dos Santos, 61 anos, tomava café quando foi abordado por criminoso

Motorista frequentava diariamente padaria onde foi morto ao reagir a assalto Robinson Estrásulas/Agencia RBS
Cliente reagiu em assalto na tarde desta terça-feira e foi morto em padaria na Avenida Sertório Foto: Robinson Estrásulas / Agencia RBS

A tradicional ida à padaria de Adão Antunes dos Santos, 61 anos, terminou de forma trágica. Todas as manhãs, antes do trabalho, a duas quadras dali, o motorista parava no local para tomar café. À tarde, repetia o rito na lancheria na Avenida Sertório, na zona norte da Capital. Nesta terça-feira (6), não seria diferente, mas a rotina foi quebrada por um assalto seguido da reação de Adão, que acabou morto a tiros. 

Santos chegou à padaria pouco depois das 15h. Segundo colegas, foi buscar pão e aproveitou para fazer lanche. Pediu café com leite e pastel frito. Deu o primeiro gole na bebida e uma mordida no salgado antes de ser abordado por um homem armado, que anunciou o assalto. 

Leia mais
Acusados de matar rainha de bateria em assalto são condenados em Cachoeirinha
VÍDEO: cliente é morto em assalto a padaria em Porto Alegre
Ladrões matam homem em assalto, trocam tiros com a polícia e são detidos em Porto Alegre

Santos levantou rapidamente da cadeira e avançou em direção ao criminoso. Enquanto estava em luta corporal com o ladrão, outro bandido, também armado, chegou e atirou. Do balcão da padaria, duas funcionárias só escutaram sons de arrastar de cadeiras e de dois tiros. 

— Fiquei apavorada. Na mesma hora, me abaixei — conta uma das funcionárias, que uma hora após o crime ainda bebia água gelada para tentar se acalmar.

Após os disparos, os criminosos deixaram a padaria sem levar nada. A dupla correu em direção ao carro estacionado próximo à Rua Dona Margarida – perto de onde Adão trabalhou por 40 anos como motorista.

Um cliente que chegava à padaria percebeu que tinha ocorrido um assalto e conseguiu parar uma viatura do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc). Os policiais passaram a perseguir os criminosos e, no caminho, houve troca de tiros. 

Um dos assaltantes foi baleado na perna e levado para o Hospital Cristo Redentor. Segundo o comissário Lindomar de Souza, da 4ª DP, trata-se de um adolescente, que seria o autor do disparo. 

Samu tentou reanimar motorista na lancheria

Além dele, dois homens foram presos: o comparsa que entrou na padaria e outro que aguardava dentro do carro. Conforme o delegado Rafael Pereira, do Denarc, duas armas foram apreendidas com os três criminosos — eles responderão por latrocínio, tentativa de homicídio (por dispararem contra os policiais) e corrupção de menor.

Enquanto acontecia a perseguição pelas ruas, Santos agonizava. Em minutos, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou e começou a reanimação. O motorista acabou não resistindo e morreu no estabelecimento. Minutos antes do assalto, uma funcionária havia acabado de voltar dos fundos da padaria com uma cesta cheia de pães. Em seguida, ouviu os disparos.

— Foi tudo muito rápido — conta.

Segundo o dono da padaria, que preferiu não se identificar, outros assaltos já aconteceram nos últimos 27 anos. Nenhum com morte. O último roubo foi há dois anos quando os três criminosos acabaram presos e tudo foi recuperado. 

Motorista, Santos estava aposentado, mas continuava trabalhando. Conforme o colega, Anadir Ribeiro, a vítima morava em Viamão. Há cerca de cinco anos, ficou viúvo. Recentemente, voltou a namorar. Ele deixa três filhos.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros