Polícia ouve mais de 50 pessoas sobre desaparecimento de bancário em Anta Gorda - Polícia

Versão mobile

 

Após pescaria23/11/2018 | 18h54

Polícia ouve mais de 50 pessoas sobre desaparecimento de bancário em Anta Gorda

Jacir Potrich, 55 anos, sumiu há 10 dias no Vale do Taquari

Polícia ouve mais de 50 pessoas sobre desaparecimento de bancário em Anta Gorda reprodução/reprodução
Jacir Potrich (esq.), ao lado da mulher, Adriane (dir.), e do filho, Vinicius, hoje com 26 anos. Gerente sumiu Foto: reprodução / reprodução

A Polícia Civil já ouviu mais de 50 pessoas na investigação do desaparecimento do gerente do banco Sicredi Jair Potrich, 55 anos. Ele foi visto pela última vez em 13 de novembro ao chegar a sua casa em Anta Gorda, no Vale do Taquari, após uma pescaria. Câmeras de segurança mostram a entrada dele no condomínio fechado onde mora.

Segundo o delegado Guilherme Pacífico, as mais de 50 pessoas foram "entrevistadas" enquanto um número menor foi ouvido em depoimento formal.

TUDO SOBREO CASO
Família oferece R$ 50 mil por informações sobre gerente de banco desaparecido em Anta Gorda
Gerente de banco desaparece de casa após pescaria no Vale do Taquari
Bombeiros esvaziam açude, mas não encontram gerente de banco desaparecido no Vale do Taquari
"É incrível que não tenha uma pista", diz mulher de gerente de banco desaparecido
Mistério do gerente de banco desaparecido causa aflição em Anta Gorda

— Como há a possibilidade de ele estar vivo, estamos nos concentrando nas diligências — destacou polícia.

A polícia solicitou uma série de análises para o Instituto-Geral de Perícias (IGP) e ainda aguarda retorno do órgão. Entre elas, está a perícia da casa de Potrich com luminol, que pode identificar a presença de sangue ou de outros materiais genéticos.

A investigação também apura o envolvimento de pessoas próximas no desaparecimento.

— Todas as pessoas são alvo de investigação. A gente observa o ambiente familiar, profissional e o ambiente comunitário — detalha Pacífico.

Além da mulher, o homem morava na casa com um sobrinho de 24 anos, da família dela. O jovem se formou em Contabilidade e há poucos meses veio do Mato Grosso do Sul trabalhar no escritório da tia. As câmeras de segurança mostram a chegada dele à casa cerca de uma hora após o desaparecimento do tio.

Já a mulher de Potrich, Adriane Potrich, estava em Passo Fundo, onde reside o filho do casal.

Família de gerente de banco de Anta Gorda Jair Potrich, 55 anos, paga recompensa de R$ 50 mil por informações.
Família oferece valor por informaçõesFoto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Polícia critica recompensa

Pacífico criticou a decisão da família de pagar uma recompensa de R$ 50 mil por "informações concretas" do paradeiro do bancário.  O anúncio foi publicado nas redes sociais do filho dele, Vinicius Balestreri Potrich, na última terça-feira (21).

— Isso mais prejudica do que ajuda. Em locais com disque-recompensa, o trabalho é feito por autoridades e não pelas famílias. — observa o delegado.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros