Suspeito de matar proprietária de salão de beleza é preso em Tramandaí - Polícia

Versão mobile

 

Litoral Norte05/11/2018 | 21h23

Suspeito de matar proprietária de salão de beleza é preso em Tramandaí

 Três tiros atingiram Navia Regina Christan, 46 anos, por volta do meio-dia desta segunda-feira (5). Polícia trabalha com hipótese de execução

Suspeito de matar proprietária de salão de beleza é preso em Tramandaí Reprodução/Reprodução
Vídeo mostra homem caminhando até o salão de beleza Foto: Reprodução / Reprodução

O suspeito de assassinar ontem a proprietária de um salão de beleza, em Tramandaí, no Litoral Norte, foi preso horas depois do crime em uma ação conjunta da Brigada Militar e da Polícia Civil.

Leia mais
Mulher é assassinada dentro de salão de beleza em Tramandaí 
"Era uma excelente pessoa", diz cliente de mulher assassinada em salão de beleza
VÍDEO: imagens mostram roubo a joalheria em shopping de Porto Alegre

Dirnei Ferreira Rodrigues, 33 anos, é o suspeito de ter dado três tiros em Navia Regina Christan, 46 anos, por volta do meio-dia de ontem.  Ele foi preso em flagrante por homicídio qualificado. Com Rodrigues, os policiais apreenderam uma arma, que seria a mesma usada no crime. Até a publicação desta reportagem, o homem ainda não havia prestado depoimento.  

Segundo o delegado Paulo Perez, pelo menos outras quatro pessoas teriam envolvimento no crime. Duas delas já foram identificadas e estão sendo procuradas pela polícia. 

A hipótese investigada pela polícia é de execução. A motivação do crime está praticamente esclarecida, garante o delegado, mas não pode ser divulgada para não atrapalhar as investigações. 

Navia, conhecida como Maninha, era proprietária de um salão de beleza, localizado na Rua João Pessoa, no centro de Tramandaí. Atiradores teriam descido de um carro, ido até a frente do estabelecimento, disparado contra a vítima e, em seguida, fugido. Três tiros atingiram a mulher. Pelo menos outras nove pessoas, entre clientes e funcionários, estavam no local, mas não se feriram. 

Conforme Perez, o motorista do carro usado pelos criminosos para chegar até o salão não é considerado suspeito. O investigador explica que ele foi contratado para realizar uma corrida até o local, sem saber das intenções. O condutor teria deixado o suspeito nas proximidades. O homem teria caminhado até o salão, onde atirou. Depois, usou o mesmo veículo para fugir.  

O delegado diz que em outubro do ano passado a vítima já havia sofrido uma tentativa de homicídio. 

— Já havia sido baleada o ano passado e estamos investigando se os casos possuem algum tipo de relação — afirmou o delegado.

Câmeras de segurança flagraram o momento em que um homem caminha até o salão de beleza, antes de atirar em Navia. 

"Excelente pessoa”, diz  amiga de vítima

Clientes e amigos foram surpreendidos com a notícia da morte da cabeleireira. Navia era considerada “boa profissional e pessoa amigável”.

– Conheço a Maninha há mais de 20 anos. Estou impressionada com o que aconteceu, não sei por que fizeram isso. Ela era uma excelente pessoa, tinha muitos amigos - disse Andreia Giseli Ribeiro Lopes, cliente do salão.

Segundo Andreia, a filha e a irmã de Navia trabalham no mesmo ramo.

— A filha trabalhava junto com ela, como designer de sobrancelhas - afirmou.


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros