VÍDEO: veja o momento em que homem que fazia telentrega de drogas é preso em flagrante - Polícia

Vers?o mobile

 
 

Canoas17/12/2018 | 22h10Atualizada em 19/12/2018 | 13h58

VÍDEO: veja o momento em que homem que fazia telentrega de drogas é preso em flagrante

Grupo fingia trabalhar com encomenda de água mineral para não despertar suspeitas. Um gerente também foi preso 

A Polícia Civil desarticulou nesta segunda-feira (17) um esquema de venda de drogas disfarçado de telentrega de água. Um motociclista, identificado como Victor Sanchez Almira Pancaro Dutra, 21 anos, foi preso em flagrante em Canoas, na Região Metropolitana, ao tentar negociar cocaína com um policial do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico que fingia ser usuário do entorpecente.  Um gerente do grupo também foi detido. 

Leia mais
Telentrega de drogas leva atuação de criminosos a faculdade, supermercados e shopping da Capital
Policiais entram em lista de clientes no WhatsApp para monitorar telentrega de drogas
Investigação policial revela relação de intimidade entre usuários e traficantes

O grupo acertava a venda e o ponto de entrega pelo WhatsApp. No mesmo aplicativo, anunciava a chegada de uma nova remessa da droga pelo status: “Já estamos na ativa, água nova. Bem gelada. Só chamar.”

As investigações começaram após denúncia anônima e duraram sete meses. Para comprovar o esquema, um investigador se passou por cliente e simulou a compra em duas ocasiões: em 5 de outubro e 19 de novembro. Nos dois momentos, o entregador chegou de motocicleta e vendeu pino de 0,3 gramas. Cada porção custava R$ 20.

Conforme o diretor do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico, Mario Souza, este é o terceiro esquema de telentrega desarticulada neste ano. O investigador classifica este tipo de atuação como um ponto móvel de drogas. Assim,  leva os mesmos riscos que existem em pontos de tráfico que funcionam em locais fixos para áreas de grande movimentação.

— O risco é que quando a pessoa chama essa telentrega leva o perigo do crime, o confronto entre traficantes para perto do seu convívio — observa o delegado. 

Segundo a Polícia Civil, o grupo funcionava em moldes empresariais: tinha divisão de tarefas e distribuição de funções. Vários motoristas, cada um com sua motocicleta, faziam as entregas.

Além da prisão do entregador, a polícia capturou um gerente do grupo — o nome dele não foi divulgado. Conforme Souza, a quadrilha atuava em Porto Alegre e Região Metropolitana. A base era em Canoas. 

A operação foi batizada de Insalubre tendo em vista que ao invés de água pura eram muitas drogas negociadas. 

 CANOAS, RS, BRASIL - 17/12/2018 - Flagrante de tele-entrega de drogas. (CARLOS MACEDO/AGÊNCIA RBS)
Dutra foi preso em flagranteFoto: Carlos Macedo / Agencia RBS


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros