No meio do mato, construtora inicia obra do presídio de Sapucaia do Sul - Polícia

Vers?o mobile

 
 

Região Metropolitana07/01/2019 | 21h48Atualizada em 07/01/2019 | 21h58

No meio do mato, construtora inicia obra do presídio de Sapucaia do Sul

Empresa encaminhou maquinário, iniciou construção de escritório e fez primeiras ações no terreno

No meio do mato, construtora inicia obra do presídio de Sapucaia do Sul Isadora Neumann/Agencia RBS
Topógrafos avaliaram o terreno Foto: Isadora Neumann / Agencia RBS

Em meio a uma mata fechada, nas imediações do Zoológico, técnicos e operários da empresa Verdi deram início nesta segunda-feira (7) às obras do Presídio Estadual de Sapucaia do Sul, na Região Metropolitana. Entre as árvores, topógrafos realizaram o levantamento do terreno de 900 hectares, enquanto eram construídos um escritório e galpões. 

Leia mais
Governo do RS decide trocar Ginásio da Brigada Militar por presídio
Penitenciária de Porto Alegre com 416 vagas deve ser inaugurada em setembro

O diretor da construtora, Henrique de Boni, diz que desde a semana passada foram executados serviços técnicos e de logística, bem como limpeza do local. Boni ressaltou que as próximas etapas são terraplenagem, medições e estaqueamentos para depois ocorrer a colocação das estruturas de concreto, já com todo o planejamento de infraestrutura. 

O trabalho, que será monitorado pela Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), tem previsão de ser concluído em 270 dias a partir desta segunda-feira (7). A obra, realizada por meio de permuta, compreende uma área de 8,8 mil metros quadrados. A empresa recebeu em troca o terreno do ginásio da Brigada Militar em Porto Alegre e imóveis do Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem (Daer). 

O presídio terá cerca de 600 vagas e o principal objetivo é desafogar delegacias de polícia e presídios da Região Metropolitana e Vale do Sinos. O governo irá construir ainda uma sede para a Brigada Militar e uma nova delegacia para a Polícia Civil em Sapucaia do Sul. O valor aproximado da obra é de R$ 30 milhões e este é o terceiro presídio a ser construído por meio de permuta entre Estado e empresas.

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 07/01/2018: Início das obras do presídio de Sapucaia do SulIndexador: ISADORA NEUMANN
Trabalhadores tiveram dificuldades em meio à mata Foto: Isadora Neumann / Agencia RBS

As três permutas

PORTO ALEGRE — A primeira prisão construída via Programa de Aproveitamento e Gestão dos Imóveis do Estado do Rio Grande do Sul (permutas com a iniciativa privada) foi inaugurada e começou a ser ocupada em outubro do ano passado. As obras da Penitenciária Estadual de Porto Alegre, ao custo de R$ 24 milhões e com 10 meses de duração, foram viabilizadas pelo Grupo Zaffari que, em troca, recebeu  prédio do governo e seu respectivo terreno no bairro Praia de Belas, na Capital. 

BENTO GONÇALVES — A partir de permuta com a empresa Verdi Sistemas Construtivos, está em fase de finalização a construção da Penitenciária Masculina de Bento Gonçalves, na Serra, cuja inauguração está prevista para este mês. A nova prisão terá 420 vagas e área de 5.616 metros quadrados. A construtora recebeu na troca um terreno do Departamento Autônomo de Estradas e Rodagens (Daer).

SAPUCAIA DO SUL — A terceira permuta entre o governo estadual e a iniciativa privada incluiu a cedência à Verdi Sistemas Construtivos da área do ginásio da Brigada Militar, entre a Avenida Ipiranga e as ruas Silva Só e Felipe de Oliveira, no bairro Santa Cecília, em Porto Alegre. O novo presídio terá 8,8 mil metros quadrados de área construída e abrigará 600 detentos, em regime fechado. As obras foram iniciadas nesta segunda-feira (7). O Ministério Público chegou a contestar a localização, alegando que a área poderia conter árvores nativas. O Estado, no entanto, explicou que o presídio vai ficar em um espaço de quatro hectares, em um trecho não considerado vulnerável do terreno. 

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 07/01/2018: Início das obras do presídio de Sapucaia do SulIndexador: ISADORA NEUMANN
Máquinas foram levadas para o localFoto: Isadora Neumann / Agencia RBS


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros