Com fugas e superlotação em delegacias, governo do RS anuncia mudanças no sistema prisional - Polícia

Vers?o mobile

 
 

Segurança pública21/02/2019 | 21h22Atualizada em 21/02/2019 | 21h25

Com fugas e superlotação em delegacias, governo do RS anuncia mudanças no sistema prisional

Será feita uma redistribuição de presos na Região Metropolitana, e detentos que estavam na Penitenciária de Porto Alegre serão removidos para dar espaço a outros suspeitos de crimes

Com fugas e superlotação em delegacias, governo do RS anuncia mudanças no sistema prisional Hygino Vasconcellos / Agência RBS/Agência RBS
Vice-governador Ranolfo Vieira Júnior anunciou série de medidas para sistema prisional Foto: Hygino Vasconcellos / Agência RBS / Agência RBS

O vice-governador e titular da Secretaria da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, anunciou nesta quinta-feira (21) uma redistribuição de presos, com a intenção de desafogar as carceragens das delegacias.

Ao todo, 350 detentos que estavam na Penitenciária Estadual de Porto Alegre estão sendo encaminhados para o Presídio Central. Na próxima semana, os detidos devem ser levados para outras prisões. As vagas abertas na penitenciária da Capital serão ocupadas pelos suspeitos de crime encarcerados em delegacias da Grande Porto Alegre e Vale do Sinos.

Na prática, o anúncio é uma "mudança de fluxo" de presos, segundo o vice-governador. A medida deve ser mantida por 60 dias e, após esse prazo,  será reavaliada.

Leia mais
Mãe viu filho ser imobilizado por segurança antes de morrer sufocado
Apesar de transferências para presídios, 90 presos seguem em delegacias da Região Metropolitana
Juiz decide comprar contêineres para abrigar presos e desafogar delegacias do Vale do Sinos

— Estamos limpando, por assim dizer, retirando esses presos das delegacias e fazendo essa remoção. A nossa preocupação maior com relação a presos em delegacias e presos em viaturas é a segurança da sociedade, pois essas delegacias não têm a mínima condição de servir como um minipresídio — observou o vice-governador.

Segunda a juíza da Vara de Execuções Criminais (VEC), Sonali Zluhan, a intenção é dar "condições dignas" para os suspeitos de crimes que estão em delegacias. Ao todo, 88 pessoas estão nesses espaços nesta quinta-feira (21).

43 fugas em dois meses de governo

Para o Interior, o governo anunciou a mudança de pelo menos cinco delegados penitenciários. A troca teria sido motivada em razão da fuga de 43 presos em menos de dois meses de governo. Segundo Ranolfo, a substituição dos delegados foi tomada por "motivos pessoais". Dos fugitivos, 31 foram recapturados.

O secretário também anunciou oficialmente a retomada das obras em Guaíba, paradas desde maio de 2017, o que foi negociado em reunião nesta semana no Departamento Nacional Penitenciário (Depen), em Brasília. Quando a prisão de Guaíba estiver pronta serão abertas 672 vagas. Outras 600 virão do presídio de Sapucaia do Sul, que está em construção e deve ficar pronto no segundo semestre deste ano.

— Essa casa prisional vem a amenizar situações futuras que possam ocorrer em relação a presos de delegacias — observou Ranolfo.

Também está em obras a prisão de Bento Gonçalves, na Serra, com capacidade para 420 vagas.

O vice-governador também anunciou a convocação para maio de mais uma turma de concursados da Susepe para atuar no Presídio de Sapucaia, que está em construção. Outros 127 aprovados já estão fazendo o curso de formação, que deve ser concluído em abril. A ida a Brasília também possibilitou que fosse acertada a vinda de dois agentes do Depen na próxima semana para fazer uma radiografia do sistema prisional gaúcho.

— A partir daí, uma construção conjunta à Susepe vamos buscar se não a solução, a minimização do sistema penitenciário — salientou o vice-governador.

Scanners 

Em abril deste ano, devem chegar ao Estado 45 detectores de metal que serão instalados na entrada dos presídios. Também serão encaminhados scanners corporais, em número não revelado.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros