VÍDEO: atirador que matou açougueiro com 12 disparos ainda não foi identificado - Polícia

Vers?o mobile

 
 

Vale do Sinos07/03/2019 | 22h18Atualizada em 07/03/2019 | 22h19

VÍDEO: atirador que matou açougueiro com 12 disparos ainda não foi identificado

Crime foi cometido em 5 de setembro do ano passado em São Leopoldo. Segundo a polícia, o assassinato foi encomendado por família proprietária de minimercado

Vídeos obtidos pela Polícia Civil embasaram o inquérito sobre a execução do açougueiro Maycon Douglas dos Santos Michel, 27 anos, no dia 5 de setembro do ano passado, no bairro Campina, em São Leopoldo, no Vale do Sinos. Embora o autor dos 12 disparos não tenha sido identificado, o filho de um ex-patrão da vítima, Cristian Fernando Medeiros, 31 anos, foi visto levando o atirador ao local momentos antes do crime.

Leia mais
Escola onde estudava adolescente morta em Pelotas tem aulas suspensas e clima de consternação
Carga de munição avaliada em R$ 1,3 milhão é roubada de caminhão em Portão
Homem é baleado na cabeça após lutar com criminoso durante assalto em Porto Alegre
Atirador que matou homem com 12 tiros em São Leopoldo foi ao local do crime meia hora antes com outro suspeito

O inquérito foi concluído pelo delegado Vinicius do Vale, da Delegacia de Homicídios do município, com os indiciamentos de Cristian, de seu pai, Delvio Pinheiro Medeiros, 63 anos, e de sua mãe, Dede Noal Medeiros, 55 anos. Os três são apontados como mandantes do assassinato, devido a uma ação trabalhista movida contra o mercado da família por Michel.

— Nas investigações, ficou evidenciado que, além de pai e filho, a mãe não só sabia como participou ativamente, pagando R$ 2 mil para o atirador — relata o chefe de investigações da DH de São Leopoldo, Odilei Betanin. 

Os três tiveram mandados de prisão expedidos pela Justiça. Cristian foi preso no dia 29 de janeiro. Seus pais não foram localizados e são considerados foragidos. Em depoimento à polícia antes da decretação das prisões, o casal e o filho negaram o crime, alegando que estavam trabalhando no momento em que o açougueiro foi morto.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros