Policial militar da reserva está entre os presos suspeitos de ataque a banco em Porto Xavier - Polícia

Vers?o mobile

 
 

Noroeste do RS28/04/2019 | 21h48

Policial militar da reserva está entre os presos suspeitos de ataque a banco em Porto Xavier

Homem foi preso em casa, no interior da cidade, neste sábado; outros dois homens foram detidos por suspeita de envolvimento no crime

Policial militar da reserva está entre os presos suspeitos de ataque a banco em Porto Xavier Arquivo pessoal/Divulgação
Agência do Banco do Brasil foi assaltada na última quarta-feira Foto: Arquivo pessoal / Divulgação
Jéssica Rebeca Weber
Jéssica Rebeca Weber

jessica.weber@zerohora.com.br

Um policial militar da reserva está entre os três presos neste sábado (27) por suspeita de participação no ataque a uma agência bancária de Porto Xavier, na última quarta-feira (24). Segundo o delegado Heleno Santos, o homem – que ainda não teve o nome divulgado – seria um dos líderes da quadrilha que atacou o Banco do Brasil da cidade do noroeste do Estado.

O crime culminou na morte de um soldado da Brigada Militar, na quinta-feira (25). Fabiano Heck Lunkes, 34 anos, morreu após ter sido atingido por um tiro de fuzil durante confronto com os criminosos.

Leia mais
Presos três suspeitos de ataque a banco e morte de soldado no noroeste do RS
Familiares, amigos e colegas se despedem de soldado morto em confronto com bandidos no Noroeste

O policial militar da reserva foi detido após a prisão do primeiro suspeito, que ocorreu junto à praça central de Porto Lucena, também no Noroeste, no final da tarde. O homem, de 53 anos, que também não teve a identidade revelada, indicou onde estavam outros dois suspeitos.

A polícia foi levada até o sítio do PM aposentado, onde um funcionário do local acabou detido por suspeita de envolvimento no crime. Depois, os agentes foram até a casa do policial da reserva, em Porto Xavier, onde foi realizada a prisão em flagrante dele.

De acordo com o delegado Heleno Santos, a suspeita é de que o PM tenha feito o levantamento para a realização do assalto ao banco, observando a movimentação da Brigada Militar, da Polícia Civil e da agência. Ele também teria prestado apoio cedendo seu imóvel para os criminosos ficarem. 

A polícia segue o cerco na região, na expectativa de encontrar pelo menos outros quatro suspeitos de envolvimento no crime. Uma coletiva à imprensa foi marcada para este domingo (28), às 14h, quando serão divulgados mais detalhes sobre as prisões efetuadas.

Soldado Lunkes foi morto durante confronto com criminosos na quinta-feiraFoto: Brigada Militar / Divulgação

Entenda o caso 

Na tarde da última quarta-feira (24), criminosos atacaram uma agência do Banco do Brasil em Porto Xavier, no noroeste do Estado. Os ladrões chegaram atirando contra os vidros da agência bancária. Em seguida, alguns deles obrigaram moradores a formar um cordão humano, enquanto outros seguiam em direção ao cofre e aos caixas do estabelecimento. 

Policiais ouviram os disparos e foram até o local. Quando chegaram, foram recebidos a tiros. Os assaltantes fugiram em dois veículos levando três reféns, que foram liberados em seguida, na saída da cidade. Ninguém ficou ferido. Iniciaram-se as buscas aos criminosos. 

Os assaltantes conseguiram fugir para um matagal no interior de Campina das Missões. Por volta de 3h30min de quinta-feira (25), o grupo teria tentado sair da mata e encontrou o cerco policial. Os bandidos portavam fuzis e atiraram contra os PMs. O soldado da Brigada Militar Fabiano Heck Lunkes, 34 anos, foi atingido por um disparo na região do tórax e morreu durante atendimento médico

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros