Polícia apura motivação de incêndio criminoso na Galeria Malcon - Polícia

Vers?o mobile

 
 

Centro Histórico22/05/2019 | 21h59Atualizada em 22/05/2019 | 22h02

Polícia apura motivação de incêndio criminoso na Galeria Malcon

Polícia Civil está ouvindo testemunhas e analisando imagens

Polícia apura motivação de incêndio criminoso na Galeria Malcon Ronaldo Bernardi / Agencia RBS/Agencia RBS
Galeria fica na Rua dos Andradas, no centro da Capital Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS / Agencia RBS

A Polícia Civil investiga o que motivou o incêndio criminoso na entrada da Galeria Malcon, no Centro de Porto Alegre, na madrugada desta quarta-feira (22). O delegado Juliano Ferreira, da 17ª Delegacia de Polícia, ouviu testemunhas, comerciantes e responsáveis pelo prédio nesta tarde. 

Leia mais
Polícia investiga se fábricas clandestinas de munição abasteciam facção
Empresa alvo de operação recebeu depósitos de R$ 1 bi em 15 meses, diz PF
Polícia Civil prende duas pessoas em operação contra facção que expulsou moradores no centro de Porto Alegre

Uma hipótese que chegou aos investigadores é que o incêndio foi uma retaliação à instalação de uma guarita para controlar e identificar o acesso às salas comercias do prédio. Foi justamente a guarita o alvo dos dois homens que renderam o vigilante antes de atear fogo na estrutura. 

Localizado entre as ruas dos Andradas e a Vigário José Inácio, o prédio tem livre circulação no térreo, onde existem lojas de roupas, eletrônicos e objetos em geral. A partir do segundo andar, entre estabelecimentos regulares, há salas que são usadas como ponto de exploração sexual e outras vendas de ilícito

A reportagem apurou que os responsáveis dessas salas estavam insatisfeitos com a instalação da guarita e a necessidade de se identificar na entrada do prédio. Esse procedimento, padrão na maioria dos locais, começou a ser realizado há cerca de três meses. Com isso, o movimento estaria caindo no local. 

O delegado Juliano Ferreira, da 17ª Delegacia de Polícia, afirma que a investigação ainda no início e nenhuma hipótese é descartada. Imagens do local devem ajudar na identificação dos criminosos. 

GaúchaZH tenta contato com os administradores da galeria, mas não recebeu retorno. 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros