Comerciante reage a assalto e acaba morto em Porto Alegre - Polícia

Vers?o mobile

 
 

Latrocínio11/06/2019 | 21h33Atualizada em 11/06/2019 | 21h34

Comerciante reage a assalto e acaba morto em Porto Alegre

Ladrões atacaram estabelecimento, segundo a Brigada Militar, à luz do dia, na Zona Sul

Comerciante reage a assalto e acaba morto em Porto Alegre Marco Favero / Agência RBS/Agência RBS
Crime aconteceu no fim da tarde desta terça-feira Foto: Marco Favero / Agência RBS / Agência RBS

Um comerciante foi morto ao reagir a um assalto por volta das 17h30min desta terça-feira (11), no bairro Belém Velho, na zona sul de Porto Alegre. A vítima do latrocínio (roubo com morte) foi identificada como Genivaldo Bezerra Capito, 48 anos. 

Leia mais
Quem são os cinco denunciados por envolvimento no latrocínio de pai e filho em joalheria de Estância Velha
Ex-cunhado de mulher encontrada morta em Santa Maria é denunciado por latrocínio
Motoristas de aplicativo fazem cortejo para senegalês morto em assalto em Porto Alegre

Segundo a Brigada Militar, dois assaltantes armados invadiram uma loja de presentes, localizada na Estrada Costa Gama, e anunciaram o roubo. O dono reagiu e conseguiu atingir um dos criminosos com tiro, mas também foi baleado e morreu. A esposa da vítima também estaria no comércio no momento do assalto, mas não chegou a se ferir na troca de tiros. 

A arma usada pelo comerciante, um revólver de calibre 38, seria registrada. O criminoso baleado teria sido levado pelo próprio comparsa para atendimento médico na Lomba do Pinheiro. No local, ele acabou sendo preso. Custodiado pela BM, ele foi encaminhado ao Hospital de Pronto Socorro (HPS). O nome dele não foi divulgado pela polícia até o momento. O outro assaltante ainda não foi encontrado. 

Latrocinio - Belém Velho
Perícia realizada no local do crime Foto: Marco Favero / Agência RBS

Conforme o relato de um familiar, esta foi a terceira vez que o estabelecimento foi alvo de assaltantes.   Há cerca de dois anos, durante um dos assaltos, Capito teria sido baleado de raspão em uma das mãos. Por isso, ele decidiu ter porte de arma. A loja funciona no andar térreo do prédio onde o comerciante residia com a esposa e dois enteados. 

No momento em que os assaltantes chegaram no local, o estabelecimento estava com as portas fechadas. No entanto, o casal de comerciantes teria aberto a porta pensando que se tratava de um cliente que esteve na loja mais cedo.  A polícia apura se o homem que esteve na loja durante a tarde, acompanhado de uma mulher, seria um dos criminosos. 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros