Para polícia, morte de adolescente em Alvorada tem relação com guerra de facções  - Polícia

Vers?o mobile

 
 

Tráfico02/07/2019 | 22h20Atualizada em 02/07/2019 | 22h21

Para polícia, morte de adolescente em Alvorada tem relação com guerra de facções 

Rapaz de 16 anos foi apreendido dois dias após Marjana Bittencourt ter sido morta no bairro Formoza. Ele confessou crime

Para polícia, morte de adolescente em Alvorada tem relação com guerra de facções  Isadora Neumann/Agencia RBS
Brigada Militar realizou blitz no bairro Formoza na segunda-feira Foto: Isadora Neumann / Agencia RBS

A apreensão de um adolescente de 16 anos, na segunda-feira (1º) à noite, no bairro Formoza, em Alvorada, levou a Polícia Civil a concluir que o assassinato de Marjana Bittencourt, 14 anos, está relacionado à disputa de duas facções. Em depoimento, o rapaz confessou que atirou contra a garota no sábado (29). A relação entre a vítima e a guerra do tráfico não está esclarecida.

Leia mais
Suspeito de matar adolescente de 14 anos é apreendido em Alvorada
Três homicídios em 29 horas alertam a polícia sobre a volta da guerra do tráfico em Alvorada
Adolescente de 14 anos é morta a tiros em Alvorada

O adolescente foi apreendido pela Brigada Militar por volta das 18h. Sem saber que havia sido identificado, permaneceu no bairro onde ele e a vítima moram e onde ocorreu o crime. Durante a tarde, a BM havia realizado a Operação Saturação, com abordagens a motoristas, motociclistas e pedestres. Durante a ação, uma denúncia anônima indicou o local onde o adolescente estaria escondido.

Conforme policiais do 24º BPM, o suspeito tentou fugir quando percebeu a presença dos brigadianos, mas, em perseguição, foi rendido quando entrava em casa. 

O adolescente portava um revólver calibre 38 com cinco cartuchos. Na residência, foram apreendidas 42 pedras pequenas de crack e duas grandes, três papelotes de cocaína, uma porção de maconha e R$ 350.

Levado à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento de Alvorada, o adolescente admitiu a autoria do crime e revelou que o revólver encontrado com ele foi a arma usada para matar a adolescente.

A Polícia Civil investiga as ações, no bairro, de uma facção criminosa e de uma coalização de quadrilhas ligadas ao tráfico que disputam territórios em várias cidades da Região Metropolitana. Essa rivalidade estaria por trás da morte não só de Marjana, como de outros dois homens, neste final de semana. No domingo, por volta de 21h, foi morto Marcelo Oliveira, 40 anos, também no bairro Formoza. Cerca de quatro horas depois, Jocimar da Silva de Moura Carvalho, 27 anos, foi executado dentro de casa, no bairro Umbu.

— Vamos ver se há relação entre os crimes e que tipo de relação — afirma o delegado de Homicídios de Alvorada, Edimar Machado.

Na região onde ocorreu a morte de Marjana, o clima era tensão na tarde de ontem. No pátio de suas casas, algumas pessoas apenas observavam o movimento na Rua Alcides da Silva Malta, onde a adolescente foi morta. Outras, no interior da residência, espiavam por frestas de portas ou janelas. Ninguém queria falar sobre os crimes do final de semana.

Em respeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), GaúchaZH não divulga o nome do suspeito. A Polícia Civil não confirmou se a internação provisória na Fase foi decretada pela Justiça.

Autores de chacina estão foragidos

Enquanto investiga os assassinatos ocorridos no último final de semana, a Delegacia de Homicídios trabalha também para finalizar a apuração de uma chacina ocorrida no bairro Formoza, em 8 de abril. Os dois suspeitos de terem matado quatro pessoas na Rua Guaíba tiveram a prisão preventiva decretada.

Policiais cumpriram duas ordens judiciais, mas não localizaram os suspeitos, que passaram a ser considerados foragidos. A dupla foi identificada como Gabriel Fabiano Siqueira Chaves e Giovane de Abreu Rocha Vidal.




 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros