Presos suspeitos de matar e traficar a mando de líder de facção detido no Central - Polícia

Vers?o mobile

 
 

Ofensiva em três cidades13/09/2019 | 21h54Atualizada em 13/09/2019 | 21h55

Presos suspeitos de matar e traficar a mando de líder de facção detido no Central

Investigado por oito homicídios, Rainer Ernesto Borges foi capturado em maio e segue dando ordens para ações criminosas de dentro da cadeia

Presos suspeitos de matar e traficar a mando de líder de facção detido no Central Ronaldo Bernardi/Agencia RBS
Polícia encontra drogas e dinheiro enterrados durante cumprimento de mandado em Viamão Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

A Polícia Civil realiza nesta sexta-feira (13) nova ofensiva contra uma facção criminosa que age na zona sul de Porto Alegre. O homem apontado como líder do grupo — que ficou foragido por nove anos e é investigado por oito homicídios — foi preso em maio, em um sítio em Viamão.

Agora, operação deflagrada na Região Metropolitana busca suspeitos de tráfico de drogas e de serem os executadores do grupo, que receberiam as ordens de dentro da cadeia. Cerca de 60 agentes cumprem, desde o início da manhã, 12 mandados de prisão e 11 de busca e apreensão na Capital, em Viamão e em São Leopoldo — até as 14h, oito pessoas foram presas.

Leia mais
Líder de facção investigado por oito homicídios é preso em sítio em Viamão
Áudios revelam como detento do Central seguia no comando do tráfico de drogas em Porto Alegre

Outras quatro ordens judiciais são cumpridas dentro de cadeias. Duas delas no Presídio Central, onde três irmãos ocupam a mesma cela.

Um deles, Rainer Ernesto Borges, 35 anos, é apontado como líder da facção que atua, principalmente, no bairro Belém Novo. Segundo a polícia, ele também é o principal suspeito de dar ordens para a venda de drogas e assassinatos, por ameaças e por repassar instruções aos gerentes do tráfico.  

Borges foi um dos criminosos mais procurados do Estado até ser detido, há quatro meses, pela Delegacia de Capturas do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). De acordo com o delegado Arthur Raldi, responsável pelo caso, desde o dia da prisão havia informação de que o detento estaria de posse de um celular, dando ordens de dentro da cadeia.

A partir disso, a investigação prosseguiu com a identificação dos supostos gerentes que atuam para Borges na venda de entorpecentes e também dos integrantes da facção responsáveis por executar rivais ou desafetos. Com o depoimento de testemunhas e demais provas obtidas, Raldi desencadeou a ação desta sexta-feira.

VEJA TAMBÉM
RS tem 3,1 mil bens de traficantes para serem leiloados

A ofensiva é considerada importante porque as ações deste grupo criminoso seriam um dos fatores para o aumento, conforme a Secretaria de Segurança Pública (SSP), de 62% nos assassinatos ocorridos no bairro Belém Novo entre 2017 e 2018. Além disso, Raldi diz que foi apreendida grande quantidade de drogas — que seria da facção — durante a fase inicial da investigação.

Irmãos presos

Rainer Ernesto Borges, além das investigações por assassinatos, já tem uma condenação de 15 anos e oito meses de prisão por homicídio. Os irmãos dele são Israel Ernesto Borges, 23 anos, e Diego Mota Ernesto, 28 anos.  

Este último também foi preso em maio deste ano em um sítio de Viamão. Já Israel foi detido em fevereiro do ano passado no bairro Restinga, também na zona sul da Capital.

GaúchaZH tenta contato com a defesa dos presos para contraponto.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros