Ataque com 60 tiros seria forma de calar idoso crítico ao tráfico em bairro de Porto Alegre - Polícia

Vers?o mobile

 
 

Zona Sul02/10/2019 | 08h06Atualizada em 02/10/2019 | 08h06

Ataque com 60 tiros seria forma de calar idoso crítico ao tráfico em bairro de Porto Alegre

Segundo Polícia Civil, vítima havia sido alvo de tentativa de homicídio há cerca de um ano

Ataque com 60 tiros seria forma de calar idoso crítico ao tráfico em bairro de Porto Alegre RBS TV/Reprodução
Idoso foi morto em ataque com dezenas de disparos no bairro Cristal Foto: RBS TV / Reprodução
GaúchaZH
GaúchaZH

A ação criminosa que pôs fim à vida de Neri de Moraes, 69 anos, no bairro Cristal, em plena manhã da última quinta-feira (26), seria represália de uma facção. Um ano antes, o idoso havia sido baleado em tentativa de homicídio. O motivo de ambos os ataques, segundo o delegado Newton Martins de Souza Filho, seria a posição contrária do idoso em relação ao tráfico de drogas da região.

Neri vivia no bairro há cerca de 30 anos, era casado e deixa filhos e netos. Ele também cuidava de uma criança com necessidades especiais, segundo informações de pessoas próximas.

Neri de Moraes vivia há 30 anos no bairro CristalFoto: Polícia Civil / Divulgação

O idoso trabalhava com recicláveis em um ferro velho nas proximidades do cruzamento entre as ruas Doutor Campos Velho e Jataí, onde foi alvo da emboscada e executado enquanto dirigia uma van utilizada para o serviço.

Diversos vizinhos informaram à reportagem que Neri era figura conhecida na região, devido ao seu trabalho envolvendo a compra e venda de materiais recicláveis, entre outros itens, como peças de carros.

— Temos a informação de que ele já tinha sido vítima de outro ataque, em setembro do ano passado. Ele morava há muito tempo no local e era uma pessoa bem conhecida. Ele sempre teve uma postura contrária (ao tráfico) — explica o delegado, que é titular da 6ª Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (6ª DHPP).

Na ocasião do ataque de 2018, Neri foi baleado no ombro, segundo a polícia. Em alguns momentos, explica o delegado, o idoso chegou a andar armado, temendo novas represálias.


Apego aos netos

Segundo um familiar, que pediu para não ser identificado, Neri era extremamente próximo dos filhos e netos. Os pequenos ficaram chocados com a morte do avô, relata o parente.

A preocupação com os pequenos foi justamente a motivação de Neri para criticar a violência e a falta de segurança do bairro no qual criou seus filhos.

— Ele era bem popular e não aceitava (o tráfico). Falava direto com eles (criminosos), que estavam trazendo violência para as crianças — explica.

Um dos filhos do idoso foi procurado pela reportagem. Ainda abalado com o crime, preferiu não comentar o caso. Limitou-se a reiterar a lembrança das posições positivas de Neri junto à comunidade.

— Ele é um cara muito bom, muito bom para vizinhança, é só isso que tenho para dizer — disse.

A investigação está em andamento e ainda não há suspeitos de terem executado Neri.

Uma mulher foi ferida no ataque, mas o delegado não divulga nem o estado nem o local no qual ela está internada.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros