Escolas são alvo de furtos e vandalismo em Cachoeirinha - Polícia

Vers?o mobile

 
 

Insegurança23/10/2019 | 08h01Atualizada em 23/10/2019 | 08h01

Escolas são alvo de furtos e vandalismo em Cachoeirinha

Criminosos levaram câmeras de segurança, cabos da rede elétrica, além de itens da cozinha

Escolas são alvo de furtos e vandalismo em Cachoeirinha Prefeitura de Cachoeirinha/Divulgação
EMEI Tiradentes teve o galpão incendiado Foto: Prefeitura de Cachoeirinha / Divulgação

Três colégios foram alvo de ladrões entre domingo (20) e segunda-feira (21) em Cachoeirinha, na Região Metropolitana. As escolas municipais de Ensino Fundamental Tiradentes e Jardim do Bosque e a de Ensino Infantil Recanto dos Girassóis foram invadidas, tiveram pertences furtados e sofreram danos estruturais. A Secretaria de Educação confirmou que as aulas estão mantidas.

Segundo o delegado Maurício Barison, a Polícia Civil está analisando as imagens das câmeras de segurança e ouvindo a comunidade.

Segundo o comandante da Guarda Municipal de Cachoeirinha, Jonas Alvarino Borba da Silva, os ataques teriam sido cometidos por "vândalos que não têm o que fazer". Garante que o trabalho é ostensivo no município, mas diz não haver guardas fixos em todas as escolas, e, sim, em algumas, em horário escolar, das 8h às 17h.

— A gente segue trabalhando. Uma das principais atribuições da Guarda Municipal é cuidar dos prédios públicos. Do nosso efetivo, 80% da força é para isso. Os guardas ficam distribuídos por todo município, inclusive nas proximidades de escolas — explica Silva.

De acordo com Barison, foram furtados cabos de energia na Emef Jardim do Bosque, deixando o local sem luz. A reportagem não conseguiu contato com a escola. 

A Emef Tiradentes, na Vila Anair, teve as câmeras de segurança furtadas, além de sofrer um ato de vandalismo que prejudicou a estrutura. Segundo a vice-diretora da instituição, Michele Oliveira, os ladrões tentaram arrombar o local e não conseguiram. Então, invadiram um galpão que é utilizado como auditório por meio de uma janela e atearam fogo. As chamas atingiram forro, cadeiras e um mural com trabalhos dos alunos.

Michele conta que os danos só não foram maiores pois a diretora chegou e apagou o fogo. Não há estimativa de prejuízo. A Escola aguarda a Secretaria de Obras fazer avaliação para iniciar o conserto.

A Emei Recanto dos Girassóis, na Vila Vista Alegre, enfrentou situação parecida. Os criminosos cortaram a tela que cerca a escola e arrombaram uma das portas, invadindo a cozinha, também no domingo. No local, são preparadas as refeições das cerca de 166 crianças, de quatro meses a cinco anos. 

No ataque, foram levadas panelas, talheres, balanças e outros itens metálicos. Até um relógio de parede e um espremedor de frutas foram furtados. Além disso, os ladrões destruíram um ar-condicionado da sala do berçário. Segundo a diretora, Neila Goulart, eles procuravam fios de cobre no aparelho.

— Estamos todos preocupados. Os pais estão sugerindo que façamos rifas para colocar grades naqueles lugares que eles entraram. Fizemos uma reunião hoje (terça-feira), vamos ter uma ação para fazer as grades — relata a diretora, que estima perdas em cerca de R$ 5 mil. 

Segundo a diretora, a ação só não trouxe mais prejuízos porque a Recanto dos Girassóis conta com monitoramento por câmeras. Neila, que tem acesso às imagens em tempo real pelo smartphone, viu pelo menos dois ladrões circulando pela área da creche e chamou a Guarda Municipal.

— Chegaram em cinco minutos, mas os ladrões saíram correndo e fugiram por outro lado, já que área é grande — afirma.

Reincidência 

A diretora explica que as câmeras que monitoram a Emei Recanto dos Girassóis foi instalada devido a outro ataque, em fevereiro. Na ocasião, a direção e a comunidade se mobilizaram para levantar recursos para o equipamento.

Assim como na ação de domingo, à época os itens foram furtados da cozinha. Doações garantiram a rápida normalização das refeições dos pequenos.

Esforço conjunto 

Em articulação com a Brigada e a Polícia Civil, segundo o comandante da Guarda Municipal, está sendo desenvolvido um esforço conjunto desde segunda-feira (21). O objetivo, seria identificar os criminosos que fizeram os ataques e evitar novos crimes.

Para isso, segundo a prefeitura, serão maximizadas as rondas nas proximidades dos prédios públicos. Desde a segunda-feira, já há uma rede de contatos para que a comunidade entre em contato com as autoridades para comunicar atos como esses. A administração municipal frisou a importância da contribuição da população para auxiliar no combate aos crimes.

De mesmo modo, já estão sendo instaladas 11 novas câmeras de monitoramento em locais estratégicos da cidade, que custarão cerca de R$ 300 mil. A prefeitura também afirma que está construindo uma licitação para o cercamento eletrônico de todos os prédios públicos da cidade. No entanto, não há datas para que o sistema seja, de fato, instalado. 

A prefeitura de Cachoeirinha pede a ajuda dos moradores para denunciar atividades suspeitas através dos telefones 190, 153, 3469-5311 ou 99250-7954 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros