Esposa de secretário de Itaqui assassinado é detida por suspeita de ser mandante do crime - Polícia

Vers?o mobile

 
 

Fim de mistério17/10/2019 | 18h55

Esposa de secretário de Itaqui assassinado é detida por suspeita de ser mandante do crime

De acordo com a polícia, a mulher teria planejado a morte para de se apropriar do dinheiro da vítima

Esposa de secretário de Itaqui assassinado é detida por suspeita de ser mandante do crime Polícia Civil/Divulgação
Câmeras de hotel registraram secretário entrando em carro na frente do hotel onde estava hospedado Foto: Polícia Civil / Divulgação

A esposa do secretário municipal de Itaqui, Germano Aires Garcia Ferner, 58 anos, encontrado morto em agosto, em Viamão, foi presa nesta quarta-feira (16) pela Polícia Civil em Porto Alegre. Técnica de enfermagem, Solange Ferner, 44 anos, é suspeita de ser a mandante do crime. 

Leia mais
O que se sabe sobre o caso do secretário de Itaqui, encontrado morto há mais de um mês em Viamão
Secretário municipal de Itaqui é encontrado morto em Viamão
Mulher suspeita de matar secretário de Itaqui é presa em Porto Alegre
Polícia suspeita que morte de secretário municipal de Itaqui em Viamão teve motivação financeira 

A prisão foi revelada em uma entrevista coletiva de imprensa feita pela polícia nesta quinta (17), e termina com o mistério sobre a motivação do crime. De acordo com a investigação, a mulher teria agido com interesse no dinheiro da vítima. 

Um ex-companheiro dela, de 42 anos, já preso por outro crime, também é apontado pela polícia como envolvido no planejamento no homicídio. Um novo mandado de prisão foi expedido contra ele. O ex-companheiro seria ligado ao tráfico de drogas e, segundo a polícia, mantinha contato com a mulher.

Conforme depoimentos colhidos pela investigação, após o divórcio de sua primeira esposa, o secretário passou a manter relacionamento com Solange, que é natural de Porto Alegre. A polícia afirma que a vítima teria contraído uma série de dívidas e repassado bens a companheira, inclusive uma casa e um carro.  

— Provavelmente ela tenha tido receio de que toda essa questão financeira viesse à tona para familiares, amigos dele (Ferner) ou até mesmo autoridades e acabou planejando a execução da vida — declarou o delegado Guilherme Calderipe.

A morte de Germano Aires Garcia Ferner, 58 anos, segue sem respostas e repleta de dúvidas. Nesta semana, um segundo suspeito por envolvimento no assassinato foi preso. É um motorista de aplicativo, de 26 anos.
Germano Aires Garcia Ferner, 58, deixou quatro filhos Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

A suspeita dos policiais é de que o secretário estivesse sendo coagido a transferir bens e valores em dinheiro a mulher e de que o crime tenha sido cometido para que ele não contasse o que vinha ocorrendo. 

Em depoimento à polícia, Solange negou a participação no crime.

Presos

Além da esposa e do ex-companheiro dela, foram presas outras duas pessoas no início de outubro: um motorista de aplicativo, que teria feito a corrida que resultou na morte, e uma mulher suspeita de ter sido usada como "isca" para atrair a vítima. Ela marcou encontro com o secretário por meio de um aplicativo de mensagens, onde se apresentou como uma pessoa interessada nele. 

Foi por meio dos primeiros presos que a polícia conseguiu chegar aos demais envolvidos. Os dois eram ligados ao ex-companheiro de Solange. Ao chegar no nome dele, que está preso, a polícia precisou averiguar seu passado e descobrir que ele era o ex-marido da atual esposa da vítima.

O corpo da vítima foi encontrado na estrada Caminho do Meio em 21 de agosto, com marcas de tiros. Ferner estava na Região Metropolitana para participar de um seminário em Porto Alegre. 

Ainda falta prender um suspeito, que seria o autor do tiro que executou o secretário. Ele já foi identificado e teve mandado de prisão expedido pelo Judiciário. Os nomes dos demais presos não foram revelados pela Polícia Civil, sob pretexto de proteger a investigação.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros