Inquérito policial conclui que adolescente foi morto na orla do Guaíba após provocações entre grupos de jovens - Polícia

Vers?o mobile

 
 

Violência em Porto Alegre20/11/2019 | 22h44Atualizada em 20/11/2019 | 22h45

 Inquérito policial conclui que adolescente foi morto na orla do Guaíba após provocações entre grupos de jovens

Após gritos com os nomes de duas facções criminosas, a vítima foi agredida e levou golpes com uma garrafa quebrada e objeto perfurante

 Inquérito policial conclui que adolescente foi morto na orla do Guaíba após provocações entre grupos de jovens Reprodução/Facebook
Haderson Júnior Martins Floriano tinha 17 anos Foto: Reprodução / Facebook

A Polícia Civil concluiu nesta quarta-feira (20) o inquérito sobre a morte de um adolescente de 17 anos na orla do Guaíba, em Porto Alegre, no dia 29 de setembro. Haderson Júnior Martins Floriano, de 17 anos, sem envolvimento com atos infracionais, levou vários golpes no peito com uma garrafa quebrada cerca de 150 metros da Usina do Gasômetro. Mas, segundo a polícia, o que teria causado a morte do jovem seria um objeto perfurante. Três pessoas estão sendo responsabilizadas pelas agressões e pelo homicídio.

O motivo do crime foi uma série de provocações entre grupos de jovens que gritavam os nomes de duas facções criminosas do Estado que atuam no tráfico de drogas. A vítima que teria iniciado os gritos, de acordo com a investigação.

Leia mais
Adolescente havia almoçado com a família antes de ir à Orla e ser assassinado em Porto Alegre
Morte de adolescente confirma triste realidade: a orla do Guaíba virou uma João Alfredo

Por meio de depoimentos e análises de imagens, a polícia identificou dois adultos com antecedentes criminais e um adolescente — já com passagem policial por homicídio — envolvidos na confusão e posteriormente nas agressões que terminaram com a morte da vítima.

São eles Ygor Rodrigues Dupont, de 22 anos, foragido, e Márcio Teles Mendes Felber, 19, já preso pela polícia. O adolescente também já foi apreendido. O Ministério Público denunciou os dois adultos, já o adolescente teve representação judicial para internação. A Justiça aceitou a denúncia da Promotoria e os dois adultos são réus na 2ª Vara do Júri da Capital. Eles respondem pelo crime do homicídio qualificado. 

A investigação foi da 2ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa e da 1ª Delegacia de Polícia para o Adolescente Infrator. A delegada Roberta Bertoldo, da Homicídios, disse que foram decretadas as prisões preventiva dos dois adultos e a expedição de um mandado de internação do adolescente. Ela destacou que Dupont, justamente o autor do golpes com uma garrafa quebrada e um objeto perfurante — ou um canivete ou uma faca —, está foragido.

Igor, foragido caso orla do Guaíba
Ygor Rodrigues Dupont, de 22 anos, está foragidoFoto: Polícia Civil / Divulgação

— Os três irão responder pelo homicídio, mas é perceptível nas imagens a voz de várias pessoas que não estavam envolvidas diretamente nas agressões ao jovem incentivando o ataque — explicou Roberta.

Os policiais disseram que a aglomeração na orla no dia do crime não foi um encontro marcado previamente por facções e nem pode confirmar se os suspeitos são integrantes, mas a maioria dos envolvidos nas provocações gritaram os nomes dos dois grupos rivais. Não se descarta que os investigados estavam sob o efeito de drogas e foi confirmado que estavam ingerindo bebida alcoólica.

Roberta também ressaltou que Haderson ficou em meio a uma briga generalizada e passou a ser agredido com socos e chutes por Felber e pelo adolescente. Já Dupont se juntou aos outros dois e atingiu a vítima no peito com a garrafa quebrada e depois com um objeto perfurante. Logo após, ele se afastou do local, mas permaneceu no entorno da orla observando todos os fatos. Em depoimento, Felber e o adolescente confessaram a participação no confronto e auxiliaram a Polícia Civil com informações do caso.

Leia mais
O que se sabe sobre o assassinato de adolescente na orla do Guaíba

Haderson foi encaminhado ao Hospital de Pronto Socorro (HPS), mas não resistiu aos golpes que atingiram o seu coração. Após este crime, a segurança por parte da Guarda Municipal e da Brigada Militar foi reforçada na orla.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros