Júri de nove acusados da morte de adolescente em saída de festa em Charqueadas é adiado - Polícia

Vers?o mobile

 
 

Homicídio 19/11/2019 | 09h58

Júri de nove acusados da morte de adolescente em saída de festa em Charqueadas é adiado

Suspeitos da morte de Ronei Faleiro Junior serão julgados em três etapas a partir de janeiro de 2020

Júri de nove acusados da morte de adolescente em saída de festa em Charqueadas é adiado Mateus Bruxel / Agência RBS/Agência RBS
Após adiamento do júri, réus deixaram o local e foram levados ao Presídio Central Foto: Mateus Bruxel / Agência RBS / Agência RBS

A Justiça adiou nesta segunda-feira (18) o júri de nove acusados da morte de Ronei Wilson Jurkfitz Faleiro Júnior, 17 anos, ocorrida em maio de 2015, em Charqueadas, na Região Carbonífera. O pedido de postergar o julgamento foi feito pela defesa de um dos réus e aceito, em consenso, entre a juíza Greice Pinz, acusação e as demais defesas. 

Além disso, ficou definido que o julgamento será dividido em três partes, para agilizar e evitar grande número de testemunhas depondo em apenas um dia. O Tribunal de Justiça confirmou que um dos júris ocorrerá em janeiro e os outros dois, em abril — mas ainda não há data definida.

De acordo com o promotor Marcio Abreu da Cunha, o pedido de adiamento foi solicitado pois o advogado de um dos réus recém assumiu o caso e alegou precisar de mais tempo para se atualizar dos fatos processuais.  

— Nós aceitamos (o pedido de adiamento) afim de que não haja qualquer alegação de nulidade de cerceamento de defesa. Nós anuímos com o adiamento e a cisão. As defesas concordaram que os réus sigam presos (até o julgamento) — explicou.

Cunha disse ainda que, mesmo com o adiamento e a divisão do júri, a expectativa do Ministério Público é de que todos os réus sejam condenados.

Por volta das 10h30min, os réus retornaram para o Presídio Central, em Porto Alegre. Eles respondem por homicídio qualificado, três tentativas de homicídio qualificado, associação criminosa e corrupção de menores.  

O delegado Rodrigo Reis, que na época conduziu o inquérito da morte de Ronei, esteve no local nesta segunda-feira e disse que dois dos nove acusados se envolveram em crimes de dentro do Presídio Central e ingressaram em uma facção.

Os pais da vítima também deixaram o local por volta das 10h45min e não falaram com a imprensa. A família se mudou da cidade ainda em 2015, logo após o julgamento de sete adolescentes envolvidos.

Ronei Júnior morreu após ser agredido com garrafadas, chutes e pontapés na saída do Clube Tiradentes, onde acontecia uma festa que arrecadava fundos para a formatura no Ensino Médio. O pai e um casal de amigos também ficaram feridos. O adolescente chegou a ser levado ao hospital da cidade pelo pai, que foi orientado a transportá-lo até Porto Alegre. Ele morreu antes de chegar.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros