Jovem atingido por golpes de facão em Viamão morre e vizinho confessa o crime - Polícia

Vers?o mobile

 
 

Homicídio05/12/2019 | 07h48

Jovem atingido por golpes de facão em Viamão morre e vizinho confessa o crime

Felipe Ayres Batista Borges, 20 anos, foi atingido por golpes em frente a casa de familiares. Os órgãos serão doados

Jovem atingido por golpes de facão em Viamão morre e vizinho confessa o crime Arquivo Pessoal/Divulgação
Felipe morava no Rio de Janeiro e veio ao Estado há duas semanas para o velório de um tio Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

O Hospital de Viamão confirmou na tarde desta quarta-feira (4) a morte do jovem Felipe Ayres Batista Borges, 20 anos. Ele estava internado desde a noite de sábado (30), após ser atingido por golpes de facão, em frente a casa de uma familiar, na Rua Mangueira, no bairro Martinica, em Viamão, na Região Metropolitana. Um vizinho de familiares da vítima se apresentou na Delegacia de Polícia e confessou o crime.

Segundo a polícia, o homem teria ido até o local onde ocorria a festa de aniversário de uma tia de Felipe. Ele teria ligado para a vítima pedindo para que fosse até a rua para conversar. Quando Felipe se aproximou, foi surpreendido, derrubado e atingido várias vezes na cabeça, nos braços e nas pernas. Segundo relatos, os dois já se conheciam, mas não teriam desavenças. O homem teria fugido do local em um Gol prata.

Conforme o delegado Guilherme Calderipe, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Viamão, o homem teria dito que o crime foi motivado por questões pessoais. Ele disse desconfiar que Felipe estaria se relacionando a companheira dele.   

- Estamos todos em choque. Era um rapaz super tranquilo. Nunca fez mal para ninguém. Só que esse homem colocou na cabeça que ele tinha um caso com a namorada dele e não deu nem tempo para explicar e se defender - comentou Rafael Benites, que é primo da vítima.

Felipe foi socorrido por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado até o Hospital de Viamão, onde não resistiu aos ferimentos e teve morte cerebral confirmada na tarde desta quarta. De acordo com o hospital, a família autorizou a doação de órgãos do jovem.

O delegado afirmou que, até o momento, apenas o autor confesso prestou depoimento. Ele pretende ouvir familiares da vítima nos próximos dias para, então, pedir a prisão do homem que foi liberado após se apresentar. 

Felipe era solteiro e morava há pouco mais de dois meses no Rio de Janeiro. Ele trabalhava em uma empresa que faz instalações de redes de fibra óptica. Conforme familiares, o jovem veio ao Estado há duas semanas para o velório de um tio.

— Durante o período, ele pegou conjuntivite e a empresa pediu para ele ficar mais 10 dias para se recuperar. Nesse meio tempo, aconteceu o crime. Ele iria embora na segunda-feira (2) para fazer uma instalação em São Paulo — afirma Benites.

Ainda não há informação sobre o velório de Felipe.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros