VÍDEO: autor de morte de policial da reserva esteve em reciclagem três vezes no dia do crime - Polícia

Versão mobile

 
 

Novo Hamburgo23/12/2019 | 20h05

VÍDEO: autor de morte de policial da reserva esteve em reciclagem três vezes no dia do crime

Imagens de câmeras de segurança obtidas pela Polícia Civil mostram que atirador foi ao local em três momentos, até matar sargento aposentado

Leticia Mendes

Em 10 de dezembro, o policial da reserva Ezequiel Freire dos Santos, 50 anos, foi morto a tiros na reciclagem que mantinha às margens da BR-116 em Novo Hamburgo, no Vale do Sinos. A investigação da Polícia Civil identificou cinco suspeitos, quatro presos de forma temporária e um foragido, como autores do crime. Entre eles, está a companheira da vítima, apontada como mandante.

Leia mais
"Se ele se sentisse ameaçado, andaria armado", diz filho de sargento da reserva assassinado em Novo Hamburgo
Sargento da reserva é assassinado em Novo Hamburgo

Ricardo de Melo, 35 anos, confessou em depoimento que recebeu R$ 300 para matar o sargento. Ele apontou Evandra Palmira de Oliveira, 40 anos, que mantinha relacionamento com o policial há um ano e 10 meses, como uma das pessoas que teria arquitetado e ordenado a morte. No dia do crime, Ricardo esteve três vezes na reciclagem da vítima.

Confira a cronologia:

17h15min - Carregando um saco com cobre, Ricardo de Melo vai até a reciclagem da vítima. Em imagens de câmeras aparece caminhando em frente ao local acompanhado de outro homem, identificado pela polícia como Alex Sebenello de Oliveira.

Ricardo ingressa na reciclagem e Alex segue pela estrada. Segundo a investigação, ele foi até ali indicar ao atirador onde ficava o estabelecimento da vítima. O objetivo seria Ricardo identificar o policial, que seria morto logo depois. Ele chegou a vender cobre ao policial e recebeu R$ 44. Depois, retornou a uma residência próxima, onde moravam Veronilda e João Carlos.

De volta à casa, Ricardo teria exigido falar com a companheira de Freire para confirmar a versão de que ela era agredida por ele. O casal faz contanto por telefone com Evandra e afirma "Conseguimos teu remédio para dor". Seria o código para informar que encontraram um atirador.

17h40min - As câmeras flagram Evandra saindo da reciclagem de bicicleta. Neste momento, teria ido até a casa dos pais de santo. Segundo Ricardo, a mulher confirmou que era agredida e que o marido deveria ser morto. Cerca de 20 minutos depois ela retorna para a reciclagem.

18h30min - Ricardo segue outra vez até a reciclagem. Dessa vez, carrega um revólver 38 na cintura e um saco de latinhas. Quando se aproxima do local, no entanto, percebe que o militar está em um veículo acompanhado de outra pessoa. Ele chega a falar com Freire, que indica que ele venda o material para Evandra, que está dentro da reciclagem. O policial deixa o local no veículo.

Em depoimento, Ricardo contou que perguntou à mulher que horas ele voltaria e ela teria informado que em 15 minutos. Ele relata que Evandra teria garantido que as câmeras estariam desligadas no momento do crime. Ricardo vende as latinhas por 4 e volta para a casa dos pais de santo. Lá toma uma cerveja e aguarda a vítima retornar.

19 horas - Pela terceira vez, o atirador vai até a reciclagem. Em um saco, leva cobre e ferros. Teria sido a forma de distrair a vítima, para que precisasse separar o material na hora de avaliar. Enquanto Freire avalia os materiais, o criminoso verifica se não há ninguém perto, saca o revólver e atira no rosto e no peito da vítima. Ele foge correndo.

* Os horários são aproximados porque há diferença de cerca de 15 minutos entre o horário real e o que consta nas câmeras.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros