Assassino confesso de avó e neta em São Marcos é espancado em cadeia de Caxias do Sul - Polícia

Versão mobile

 
 

Serra03/07/2020 | 10h27Atualizada em 03/07/2020 | 10h27

Assassino confesso de avó e neta em São Marcos é espancado em cadeia de Caxias do Sul

Sete detentos são suspeitos das agressões. Leandro Daniel Hoffmann será transferido para outro presídio, segundo a Susepe

Assassino confesso de avó e neta em São Marcos é espancado em cadeia de Caxias do Sul Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Homem é assassino confesso de Irene da Fonseca, 67 anos, e da neta dela Kauana Santos, 16, no interior de São Marcos. Ele também incendiou a casa delas Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Dois dias após ser capturado pela Polícia Civil, Leandro Daniel Hoffmann, 31 anos, foi espancado por outros detentos na Penitenciária Estadual de Caxias do Sul, na Serra. O detento é o assassino confesso de Irene da Fonseca, 67 anos, e da neta dela Kauana Santos, 16, no interior de São Marcos

A Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) informa que Hoffmann teve escoriações leves, recebeu atendimento médico e está em isolamento aguardando por transferência para outra casa prisional da região. 

As agressões aconteceram por volta das 2h desta quinta-feira (2) e sete detentos são suspeitos. Eles devem responder a Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD). Hoffmann estava em um setor destinado apenas a detentos que cumprem prisão temporária. Um vídeo do espancamento circula em redes sociais. A Susepe afirma ter apreendido este celular.

Hoffmann foi preso em Vila Oliva, no interior de Caxias do Sul, no final da tarde de terça-feira (30), cerca de 96 horas após a sequência de crimes em uma chácara de São Marcos. Ele era vizinho das vítimas e confessou ter invadido a casa, atirado em Irene e Kauana, enterrado o corpo da adolescente em um riacho e voltado para incendiar a casa da família, com o corpo da idosa dentro.

Em depoimento, Hoffman alegou que havia bebido naquela tarde, expulsado a esposa de casa, um galinheiro improvisado na mesma chácara, e foi até o vizinho para "tirar satisfações"

— Ele disse que ingeriu bastante bebida alcoólica. A versão dele é que já havia um atrito com o vizinho (pai de Kauana), algo sobre ter “olhado torto". Por isso, foi tirar satisfações. Mas nunca houve uma desavença entre eles. Tanto que o pai não relatou nada no seu depoimento — apontou o delegado Edinei  Márcio Albarello, em entrevista coletiva na manhã de quarta-feira (1). 

O assassino confesso será indiciado por duplo homicídio qualificado, ocultação de cadáver e incêndio criminoso. A Polícia Civil também aguarda perícias para determinar se o investigado estuprou a adolescente. Hoffmann nega qualquer crime sexual. 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros