Líder de facção é apunhalado por companheiro de galeria na Pasc - Polícia

Versão mobile

 
 

Sistema prisional25/09/2020 | 09h46Atualizada em 25/09/2020 | 09h46

Líder de facção é apunhalado por companheiro de galeria na Pasc

Preso passou por cirurgia e está na UTI de hospital em Porto Alegre

Líder de facção é apunhalado por companheiro de galeria na Pasc Ronaldo Bernardi/Agencia RBS
Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

A Polícia Civil investiga uma briga que aconteceu na manhã desta quinta-feira (24) no pátio da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc) e terminou com um preso gravemente ferido. A vítima é Fábio Fogassa, um dos chefes de facção que tem berço no bairro Bom Jesus, na zona leste de Porto Alegre. Ele foi esfaqueado várias vezes por um companheiro de cela e integrante do mesmo grupo criminoso.

De acordo com a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), Fogassa passou por cirurgia e está internado na UTI de um hospital da Capital em estado greve. Ele foi atingido por múltiplos golpes na região do tórax e no pescoço, dados com um pino que conecta as hélices do ventilador.

O responsável pelo ataque foi identificado pela polícia e já prestou depoimento. Segundo o titular da delegacia de Charqueadas, o apenado Rafael Panosso de Albuquerque, o Xuxa, confessou o crime e afirmou que realizou a ação após Fogassa ter ameaçado a sua família na noite de quarta-feira (23). Agora, o delegado Marco Aurélio Schalmes, investiga se, de fato, houve uma desavença apenas entre os dois ou se o ataque teria o envolvimento de outras pessoas.

— Vamos realizar outras diligências para ter certeza de que o crime ocorreu somente por uma desavença entre os dois. Ao que tudo indica, o autor dos golpes agiu sozinho, mas ainda não temos de confirmar se não há um mandante do crime — afirmou o delegado Schalmes.

Tanto Fogassa quanto Xuxa estão envolvidos na morte de um empresário no estacionamento de um supermercado na zona sul de Porto Alegre em 2016. Fogassa e outro integrante da facção teriam ordenado que Xuxa executasse um criminoso rival. No entanto, o empresário Marcelo Oliveira Dias acabou sendo assassinado por engano.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros