Autor confesso detalha à polícia como matou taxista durante assalto em Montenegro - Polícia

Versão mobile

 
 

Latrocínio 15/10/2020 | 11h29

Autor confesso detalha à polícia como matou taxista durante assalto em Montenegro

Marcelino André da Silveira, 53 anos, teve corpo encontrado na manhã de domingo no Vale do Caí 

Autor confesso detalha à polícia como matou taxista durante assalto em Montenegro Polícia Civil/Divulgação
Arma que pertencia à vítima foi levada durante roubo e recuperada nesta quarta-feira Foto: Polícia Civil / Divulgação
Leticia Mendes

Detido na manhã desta quarta-feira (14), em Montenegro, no Vale do Caí, um investigado detalhou à polícia como matou um taxista no último fim de semana no município. O crime, segundo a versão do preso, aconteceu durante um assalto. Ele confessou que pretendia roubar uma arma que sabia que o motorista carregava dentro do táxi para se defender de criminosos. Marcelino André da Silveira, 53 anos, foi morto a facadas na madrugada de domingo (11).  

Segundo o delegado André Roese, o homem teve prisão temporária decretada em razão da suspeita de envolvimento no crime. Após ser detido, ele acabou detalhando aos policiais como teria cometido o latrocínio (roubo com morte). O nome do preso não foi informado pela polícia. 

— Ele explicou que sua intenção sempre fora matar o taxista para roubá-lo em razão de sua reputação de reagir, sabendo que o mesmo portava a arma debaixo do banco — informou o delegado.  

Na madrugada de domingo, o autor teria ido até a estação rodoviária — onde ficava o ponto de táxi da vítima — e pedido uma corrida até o interior. Na Estrada João Krantz, na localidade de Alfama, ele teria atacado a vítima com quatro facadas no pescoço e nas costas — uma delas perfurou o pulmão. O taxista ainda conseguiu pegar o revólver e descer do veículo, mas morreu antes de conseguir efetuar algum disparo.  

Após ver que o taxista estava morto, ele teria subtraído cerca de R$ 200, roubado a arma e arremessado fora o celular e a faca. No táxi, ele retornou à área central da cidade e depois voltou mais uma vez ao local do crime. Segundo o delegado, ele acreditava que a vítima poderia ter mais dinheiro, chegou a revistar o corpo, mas acabou não encontrando. Depois disso, abandonou o táxi no bairro Santo Antônio e caminhou até sua casa, nas proximidades.

Nesta quarta-feira, o autor foi até o local com os policiais e indicou o ponto onde havia arremessado a faca — o objeto foi encontrado e apreendido. Já o telefone não foi localizado pela polícia. Ele também indicou o ponto onde havia escondido uma pochete com documentos da vítima e as roupas usadas no latrocínio.  

A polícia recuperou também o revólver do taxista. Conforme o delegado, a arma foi apreendida com um homem de 40 anos, morador da área rural de Montenegro. Ele foi preso em flagrante pelo porte ilegal de arma de fogo e pela receptação do bem roubado. O autor do latrocínio teria vendido o revólver por R$ 1,5 mil. Com esse valor, ele adquiriu de uma terceira pessoa, que a polícia tenta identificar, dois cavalos. Os animais tinham sido furtados e foram recuperados na terça-feira (13) pela polícia.  

O caso 

Conhecido como André, o taxista mantinha ponto na rodoviária de Montenegro. O veículo dele, um Virtus branco, foi encontrado no bairro Santo Antônio, pouco depois das 5h de domingo (11). O local fica a cerca de um quilômetro de onde ele trabalhava. A situação levantou a suspeita de que o condutor pudesse ter sido vítima de algum crime.   

Cerca de três horas depois, o corpo dele foi encontrado caído na Estrada João Krantz, na localidade de Alfama, na área rural de Montenegro. No corpo do taxista, havia perfurações nas costas e no pescoço, provocadas por golpes de faca. A vítima era bastante conhecida, e o crime causou consternação na cidade. 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros