Homem, grávida de seis meses  e criança de quatro anos são mortos a tiros dentro de casa em Caxias do Sul - Polícia

Versão mobile

 
 

Violência na Serra28/10/2020 | 09h22Atualizada em 28/10/2020 | 09h22

Homem, grávida de seis meses  e criança de quatro anos são mortos a tiros dentro de casa em Caxias do Sul

Os três estavam na cama quando foram alvo dos disparos

Homem, grávida de seis meses  e criança de quatro anos são mortos a tiros dentro de casa em Caxias do Sul Ant Petim/Divulgação
Casa onde ocorreu o crime fica entre os bairros Jardim Iracema e Jardim Eldorado Foto: Ant Petim / Divulgação

Um crime brutal chocou os moradores da Rua Fábio Formolo, entre os bairros Jardim Iracema e Jardim Eldorado, em Caxias do Sul, na serra gaúcha. Edson Toffolo, 37 anos, Vanessa Martins dos Santos, 29, que estava grávida de seis meses, e o filho de Vanessa, Enzo dos Santos de Oliveira, quatro, foram mortos a tiros no porão da casa em que viviam. Os corpos foram encontrados na manhã desta terça-feira (27) pela avó paterna do menino, que foi até a moradia buscar o neto para uma viagem. 

Quando ela chegou, a porta estava arrombada. A mulher encontrou os corpos do rapaz, da ex-nora e do neto dela na cama do casal. Toffolo foi atingido por 12 tiros, Vanessa levou dois disparos e a criança foi atingida por um tiro no pescoço.

De acordo com a perícia, pela rigidez dos corpos, o crime aconteceu por volta das 22h de segunda-feira (26). O titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DPHPP), Ives Trindade, afirma que, inicialmente, antes de chegar ao local, acreditou se tratar de um feminicídio, seguido de homicídio da criança e de um suicídio.

— Foi uma execução e tudo indica que os tiros eram direcionados ao rapaz. A moça e a criança estavam no lugar e na hora errada.

Ele ressalta ainda que foram encontrados seis projéteis de calibre . 38, sem estojos. Então, a polícia acredita que o assassino recarregou a arma ou foi usado mais de um revólver para o crime. Não foram encontradas armas na casa:

— Encontramos porções de maconha e informações extraoficiais dão conta de que o rapaz teria algum envolvimento com drogas. Fizemos algumas entrevistas informais com vizinhos e vamos ouvir outras pessoas para que a investigação evolua.

Sobre os homicídios que têm ocorrido relacionados ao tráfico, o delegado ressalta que grupos rivais se enfrentam cada vez mais na disputa por território para comercializar drogas.

— Caxias vive uma situação em que facções rivais estão digladiando. E esses confrontos acabam resultando em crimes relacionados a essa disputa por pontos de tráfico de drogas.

Ele afirma ainda que, em princípio, o crime pode ser qualificado como um triplo homicídio mas, caso o autor tivesse conhecimento sobre a gravidez de Vanessa, ele será responsável por uma chacina.

Os primeiros depoimentos devem ser prestados durante a tarde desta terça-feira (27).

"Ouvi um grito, mas nunca imaginei que fosse algo horrível assim"

Uma vizinha, que prefere não se identificar, conta que a família morava havia cerca de cinco meses na casa. Ela afirma que ouviu barulhos, mas como chovia e há crianças e cachorros nas casas próximas, não imaginou que fossem tiros.

— Ouvi um grito, mas estava chovendo e tem sempre barulho das crianças e de cachorros e gatos. Eu nunca imaginei que fosse algo horrível assim.

Abalada, ela conta que os vizinhos estão assustados:

— Eu não vou ficar mais aqui. Pode acontecer algo comigo e com a minha filha. Podemos morrer sem nem saber o que está acontecendo, com bala perdida, não quero nem pensar. Estou com muito medo. Eu vou me mudar daqui.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros