Investigação aponta adolescente como autor de assassinatos de professora e filho em Guaíba - Polícia

Versão mobile

 
 

Desavença 16/10/2020 | 10h26Atualizada em 16/10/2020 | 10h26

Investigação aponta adolescente como autor de assassinatos de professora e filho em Guaíba

Suspeito era amigo de Leonardo Wurdig Jardim, 28 anos, executado com a mãe, Rosa Maria Wurdig Jardim, 67 anos

Investigação aponta adolescente como autor de assassinatos de professora e filho em Guaíba Alfredo Pereira/RBS TV
Crime aconteceu no bairro Bom Fim, na casa onde as vítimas moravam Foto: Alfredo Pereira / RBS TV
Leticia Mendes

Um adolescente de 17 anos estaria por trás dos assassinatos de mãe e filho em Guaíba, na Região Metropolitana. A professora Rosa Maria Wurdig Jardim, 67 anos, e Leonardo Wurdig Jardim, 28, foram mortos a tiros no início deste mês. Segundo a Polícia Civil, o autor teria ido até a casa, no bairro Bom Fim, com intenção de executar o jovem, mas acabou também matando a aposentada.  

Segundo a delegada Karoline Calegari, o investigado era amigo de Leonardo e costumava frequentar a casa onde ele vivia com a mãe. Dias antes do crime, no entanto, os dois teriam se desentendido _ a polícia ainda tenta esclarecer exatamente o motivo da briga. Naquela madrugada, ele teria ido novamente até a residência, já com a arma. Na garagem da moradia, por volta da 1h, deu dois tiros nas costas do jovem. Rosa Maria teria tentado acudir o filho e também foi executada com um tiro na nuca na mesma garagem. Os corpos foram encontrados caídos próximos um do outro.  

— Era uma mãe protetora, defendia muito o filho. Ela deve ter ouvido o disparo e foi socorrê-lo. Acabou morta com um tiro à queima-roupa. Era uma pessoa muito querida no município, o que gerou grande comoção. Ela atuou anos na área da educação — descreveu a delegada.  

A polícia acredita que o jovem tenha permitido que o adolescente ingressasse na casa. A princípio, ele não teria levado nada do local. Para a fuga, após o crime, ele teria usado uma rota de fuga planejada por Leonardo. Como era amigo dele, o investigado sabia que ele mantinha uma escada junto ao muro. Por ela, era possível acessar os telhados das residências vizinhas. E foi isso que, segundo a polícia, ele fez para fugir após o duplo homicídio.

— A vítima (Leonardo) tinha desafetos na cidade e, por isso, costumava deixar essa rota preparada para uma eventual fuga. O adolescente acabou se utilizando disso — explica a delegada.  

Neste trajeto, no entanto, havia uma câmera de segurança, que flagrou a fuga. Foi desta forma que os policiais conseguiram identificar o suspeito. O mesmo adolescente é apontado como autor de um roubo de veículo em Gravataí há três dias. Por isso, ele acabou sendo apreendido e está internado. A polícia pretende ouvi-lo nos próximos dias.  

As vítimas

Segundo amigos da família, Leonardo era o filho caçula e foi adotado ainda bebê por Rosa e pelo marido Luís Carlos Jardim. Além dele, eram pais de um casal de filhos — um deles, Leandro Wurdig Jardim, foi secretário da Fazenda de Guaíba há três anos. O marido, que também foi professor, é falecido. A aposentada morava atualmente com o filho mais jovem na Avenida Zeferino da Boa Vista, no bairro Bom Fim, onde aconteceu o crime.  

Foi no Instituto Estadual de Educação Gomes Jardim que Rosa se aposentou. Atuou por anos como supervisora das séries iniciais. Foi também professora e supervisora de estágio do curso de magistério. Na mesma escola, o marido atuou como professor e vice-diretor. Na instituição, há pouco mais de um ano, Rosa ajudou a organizar um reencontro de ex-alunos e ex-professores.  

Segundo a Secretaria Estadual de Educação, a professora era servidora aposentada havia mais de 10 anos. Entre suas funções, foi diretora da Escola Estadual de Ensino Fundamental Coronel Frederico Linck. Rosa atuou ainda na rede municipal, na Escola Municipal de Ensino Fundamental Inácio de Quadros.  

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros