Ladrões furtam mechas de cabelo que seriam doadas para crianças com câncer em Porto Alegre - Polícia

Versão mobile

 
 

Solidariedade frustrada30/11/2020 | 10h34Atualizada em 30/11/2020 | 10h34

Ladrões furtam mechas de cabelo que seriam doadas para crianças com câncer em Porto Alegre

Material haviam sido arrecadado por clube de voluntários de Igrejinha, no Vale do Paranhana

Ladrões furtam mechas de cabelo que seriam doadas para crianças com câncer em Porto Alegre Laura Fassbinder/
Mechas seriam doadas ao Instituto do Câncer Infantil Foto: Laura Fassbinder

Um ato de solidariedade foi interrompido pela ação de criminosos neste sábado (28) em Porto Alegre. Ladrões furtaram 41 mechas de cabelo que teriam como destino o Instituto do Câncer Infantil.

As mechas foram levadas de dentro de um Fiat Uno Way, estacionado na Rua São Manoel, no bairro Rio Branco. Moradoras de Igrejinha,  Laura Fassbinder, 20 anos, e a mãe dela, deixaram o veículo no local enquanto doavam sangue no Hospital de Clínicas, durante a manhã.

— Deixamos o carro na rua, perto do banco de sangue, já que parecia tranquilo, às 9h30min. Quando chegamos de volta, vimos o carro com o capô abeto, fios cortados, a porta arrombada, sem o estepe — lamentou.  

Segundo Laura, ela havia deixado as mechas escondidas dentro do carro, o que não foi suficiente para evitar a ação criminosa. Também foi levado o rádio do veículo, dois pares de tênis e outros itens pessoais.

— Fizeram uma limpa. Só não levaram o carro porque não conseguiram. Uma sensação de frustração por não conseguir ajudar as crianças como planejamos —  desabafou.

A doação de mechas havia sido preparada pelo clube de que Laura faz parte, o LEO Clube Igrejinha. Ligado ao Lions, o grupo, que faz serviços voluntários há 32 anos na cidade, começou em outubro a arrecadar as mechas como um desafio.

Frente à frustração de não conseguir a doação, o grupo já prepara uma nova ação e já conta com a promessa de ajuda de outros clubes de cidades gaúchas.

Ladrões arrombaram o veículo estacionado no bairro Rio BrancoFoto: Laura Fassbinder / Arquivo pessoal

O que diz a BM

O comandante do 9º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Fernando Gralha Nunes, disse que a corporação tem reforçado o policiamento na região do hospital, por saber da movimentação de doadores, mas que "eventualmente os bandidos aproveitam de poucos segundos". Ele prometeu que a unidade se empenhará em tentar encontrar o autor da ação e tentará recuperar os itens furtados.

— Vamos atrás dessa situação, de câmeras e da nossa base de indivíduos suspeitos que atuam na região, através de imagens. Temos como comparar e chegar a um suspeito para passar para a Polícia Civil, algo que temos logrado êxito — informou.

Ainda segundo o comandante, a unidade irá informar os salões da região sobre o furto, para evitar a compra por comerciantes.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros