Grávida vítima de bala perdida em Porto Alegre era "trabalhadora e apaixonada pelos filhos", diz irmã - Polícia

Versão mobile

 
 

Violência na Capital30/12/2020 | 08h53Atualizada em 30/12/2020 | 08h53

Grávida vítima de bala perdida em Porto Alegre era "trabalhadora e apaixonada pelos filhos", diz irmã

Cíntia Rosa da Silva, 29 anos, foi atingida por um tiro nas costas enquanto seguia a um supermercado no bairro Santa Tereza, na Zona Sul

Grávida vítima de bala perdida em Porto Alegre era "trabalhadora e apaixonada pelos filhos", diz irmã Arquivo pessoal/
Vítima estava grávida de sete meses Foto: Arquivo pessoal

A educadora Cíntia Rosa da Silva, 29 anos, foi morta após ser atingida por uma bala perdida quando estava a caminho de um supermercado, no final da tarde de segunda-feira (28), no bairro Santa Tereza, na zona sul de Porto Alegre. A vítima estava grávida de sete meses.

De acordo com a irmã, Cíntia havia saído para comprar pão em um estabelecimento na Rua Orfanotrófio quando foi atingida por um disparo pelas costas. A Polícia Civil apura um ataque a tiros ocorrido em um ponto de venda de drogas na região.

— A Cíntia era uma mulher trabalhadora e apaixonada pelos filhos. Estamos desolados, não sabemos nem o que fazer. De uma hora para outra vem alguém e tira a vida de uma guerreira como ela — desabafa Renata Rosa, 34 anos.

Segundo a irmã, a educadora estava em licença-maternidade e trabalhava em uma escola de Educação Infantil no bairro Menino Deus. Cíntia foi socorrida ao Pronto-Atendimento Cruzeiro do Sul, onde foi submetida a uma cesariana de emergência.

Na sequência, a bebê, que se chama Lívia, foi transferida para o Hospital Materno Infantil Presidente Vargas. Ela também não resistiu e acabou morrendo na manhã desta terça-feira (29).

Cíntia deixa o companheiro, um filho de 11 e uma filha de 12 anos.

Investigação

Até a manhã desta terça-feira (29), ninguém havia sido preso pelo crime. De acordo com a delegada Roberta Bertoldo, um carro preto teria passado em um local que funciona como ponto de venda de drogas na região.

— Os ocupantes do carro teriam efetuado disparos que acabaram atingindo a vítima, que passava próximo ao local. Além do tiro nas costas da mulher, outros dois homens foram baleados. Eles receberam atendimento médico e foram liberados — informou.

Para a delegada, os dois homens feridos seriam os alvos dos disparos. A dupla tem antecedentes criminais por envolvimento com o tráfico de drogas, segundo a polícia. Eles devem ser ouvidos pela investigação nos próximos dias. 

O veículo utilizado no ataque a tiros foi localizado pela Brigada Militar (BM) na região. De acordo com a delegada, o modelo 207 Passion havia sido roubado há poucos dias em Viamão, na Região Metropolitana.

— O carro está sendo periciado para coletarmos o maior número de evidências que nos levem o quanto antes à identificação da autoria do crime — salientou. 

Nas redes sociais, amigos e familiares lamentaram a morte de Cíntia. Entre os relatos emocionados, várias pessoas se mostraram chocadas e disseram "não acreditar na morte tão prematura".

A perita judicial Aline Oliveira Silveira conta que Cíntia foi professora dos dois filhos dela. A última vez que conversou com a educadora foi no domingo (27).

— Depois ela acabou saindo da escolinha, mas não perdemos o contato. Durante os meses de junho e julho deste ano, cuidou das crianças na minha casa, por causa da pandemia. Meu filho adorava, era apaixonado por ela. Era uma pessoa muito alegre, amorosa — conta.

O velório de mãe e filha ocorrerá no Cemitério Jardim da Paz, na zona leste de Porto Alegre, a partir das 22h desta terça-feira (29). O enterro está previsto para a manhã de quarta-feira (30).

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros