Homem é preso por arremessar cadelinha por cima de cerca em Capão da Canoa - Polícia

Versão mobile

 
 

Maus-tratos contra animais11/01/2021 | 15h00Atualizada em 11/01/2021 | 15h00

Homem é preso por arremessar cadelinha por cima de cerca em Capão da Canoa

Fato aconteceu durante uma briga entre proprietário de imóvel e inquilina

Homem é preso por arremessar cadelinha por cima de cerca em Capão da Canoa Polícia Civil/Divulgação
Após ser arremessada por cima de cerca, cadelinha foi resgatada pela polícia civil de Capão da Canoa e encaminhada para adoção Foto: Polícia Civil / Divulgação

O desentendimento entre o proprietário e a inquilina de um imóvel em Capão da Canoa, no Litoral Norte, terminou em um caso de maus-tratos contra animais. Uma cadelinha foi arremessada pelo pescoço por cima da cerca, em direção à via pública.

Segundo a Polícia Civil, o episódio ocorrido na quinta-feira (7) se deu durante uma briga em razão da quantidade de pessoas que estariam ocupando o imóvel. A presença no imóvel da cadelinha sem raça definida de pequeno porte também era um dos motivos do descontentamento do homem. Proprietário e inquilina moram em duas casas que ficam no mesmo terreno, no bairro Santa Luzia, e já vinham discutindo e trocando ameaças.

A agressão foi filmada e compartilhada em redes sociais. Conforme o delegado Gustavo de Mattos Brentano, a partir das imagens e do registro de ocorrência da inquilina, o homem foi preso em flagrante ainda na noite de quinta-feira. 

A cadelinha foi encontrada ainda prostrada pelo trauma. Após avaliação de um veterinário de que não havia ferimentos graves, com a concordância da antiga tutora, ela foi encaminhada para adoção.

Cadela é resgatada após ser arremessada de cerca em Capão da Canoa.<!-- NICAID(14687086) -->
Após resgate, cadelinha ganhou o nome de VitóriaFoto: Polícia Civil / Divulgação

O agressor teve a prisão preventiva decretada pela Justiça e foi encaminhado ao presídio de Osório. Ele será enquadrado na lei federal que, desde setembro 2019, endureceu a pena para quem pratica maus-tratos a animais. A pena, que era de três meses a um ano de reclusão e multa, passou a ser de dois a cinco anos, além de perda da guarda e multa.

A cadelinha já ganhou um novo lar e passou a ser chamada de Vitória.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros