Jovem de 17 anos é morta a tiros em Canoas; ex-namorado é suspeito do crime - Polícia

Versão mobile

 
 

Feminicídio15/02/2021 | 15h52Atualizada em 16/02/2021 | 11h21

Jovem de 17 anos é morta a tiros em Canoas; ex-namorado é suspeito do crime

Na mesma ocasião, amiga da vítima, que está grávida, foi ferida

Jovem de 17 anos é morta a tiros em Canoas; ex-namorado é suspeito do crime Arquivo pessoal / Arquivo pessoal/Arquivo pessoal
Júlia de Mello tinha 17 anos Foto: Arquivo pessoal / Arquivo pessoal / Arquivo pessoal

Uma adolescente de 17 anos foi morta a tiros e uma amiga, grávida, foi baleada em Canoas na madrugada de sábado (13). O autor do assassinato seria o ex-namorado da vítima. Já a amiga teria sido ferida por outro homem que acompanhava o atirador. A Polícia Civil diz já ter identificado os dois suspeitos.

Descrita por conhecidos como estudiosa e esforçada, Júlia de Mello recém havia feito as provas do Enem. Era motivo de orgulho para a mãe e os cinco irmãos. Depois de uma relação conturbada, ela havia rompido o namoro com o suspeito, de 19 anos.

No ano passado, duas ocorrências policiais envolvendo desavenças do casal foram registradas. Em julho, Júlia sofreu facadas e registrou ocorrência por lesão corporal. Em outubro, a mãe dela registrou o sumiço da jovem. Um pedido de medida protetiva de  urgência teria sido feito. O Tribunal de Justiça informou que só será possível verificar informações sobre a medida protetiva na quarta-feira (17), já que o processo é físico e, em função do feriado de Carnaval, o plantão não tem acesso ao material.  

Há suspeita de que os dois voltaram a ter contato e de que o ex-namorado tentava se reaproximar de Júlia. A polícia apura se a jovem, que morava em Viamão, estava no bairro Guajuviras, em Canoas, onde foi morta, para ir a uma festa a convite do suspeito. Intriga a polícia o fato de a amiga de Júlia também ter sido alvo do ataque a tiros.

Por questões de segurança, o nome da vítima baleada, que segue internada, não está sendo divulgado. A identificação de Júlia foi confirmada a GZH por conhecidos.

O crime é sendo investigado pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Canoas.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros