Homem assassina ex-companheira e acaba morto por PM em Sapucaia do Sul - Polícia

Versão mobile

 
 

Feminicídio26/03/2021 | 07h00Atualizada em 26/03/2021 | 07h00

Homem assassina ex-companheira e acaba morto por PM em Sapucaia do Sul

Agressor desferiu golpes de faca na mulher e só foi contido após brigadiano disparar

Um homem matou a ex-companheira a facadas, na tarde desta quinta-feira (25), em Sapucaia do Sul, na Região Metropolitana. Em seguida, o agressor foi morto a tiros por um policial militar da reserva que passava pelo local e diz ter tentado conter o ataque.  

O crime aconteceu na Rua Vinte e Cinco de Julho, no bairro Vargas, por volta das 14h30min. Segundo a Polícia Civil, o homem foi até o mercado onde a ex-companheira trabalhava e disse que queria conversar com ela no carro. Assim que ela saiu, o agressor desferiu "diversos golpes de faca contra ela", segundo o delegado Thiago Carrijo.

Leia mais
RS é o quarto Estado em número de vítimas de feminicídio no país
Polícia confirma que corpo esquartejado encontrado em Canoas é de jovem que desapareceu em Capão da Canoa

Em seguida, moradores e pessoas que passavam pela rua tentaram intervir, mas, conforme a polícia, o criminoso continuou a esfaqueá-la. Alguns minutos depois, um policial militar da reserva tentou resgatá-la. O agressor não teria aceitado as ordens do policial, que, então, atirou. 

O homem acabou morto ao lado da ex-companheira, que também não resistiu aos ferimentos.

O delegado regional Mario Souza informou que o relacionamento entre o agressor e a mulher havia acabado há uma semana e o homem não aceitava o término. 

 — Ela registrou a ocorrência em Canoas, relatando a agressão. A polícia estava tomando as medidas cabíveis e o agressor foi ao trabalho dela. Certamente, ao sair, ela não imaginava que isso poderia acontecer — declarou o policial. 

O Instituto-Geral de Perícias (IGP) foi acionado. Até o momento, a polícia não sabe o nome completo da mulher e do agressor. 

* Esta reportagem está em atualização. 


Como denunciar  

Caso tenha sido vítima ou testemunha de violência contra a mulher, procure a polícia. Isso permitirá que o caso seja investigado e até pode evitar que novas mulheres sejam vítimas. É possível registrar por meio da Delegacia Online, ir até a delegacia mais próxima ou procurar a Delegacia da Mulher. Caso tenha alguma informação, também é possível contatar a Polícia Civil pelo 197 ou usar o Disque-Denúncia no 181.  

Também é possível procurar a ajuda do Ministério Público. Em Porto Alegre, a Promotoria Especializada de Combate à Violência Doméstica e Familiar atende no Instituto de Previdência do Estado (IPE) do RS, na Avenida Borges de Medeiros, 1.945. Os telefones para contato são:  (51) 3295-9782 ou 3295-9700. O horário de atendimento atual é das 13h às 18h. No Interior, é possível buscar auxílio nas promotorias locais, tanto presencialmente quanto por telefone. A denúncia também pode ser realizada pelo site do MP

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros