Alto índice de infecção motiva vacinação de servidores da segurança no RS, segundo comandante da BM - Polícia

Versão mobile

 
 

Números da pandemia04/04/2021 | 12h18Atualizada em 04/04/2021 | 12h18

Alto índice de infecção motiva vacinação de servidores da segurança no RS, segundo comandante da BM

Policiais civis, brigadianos, bombeiros militares e outros trabalhadores diretamente envolvidos em ações para controle e combate da covid-19 foram incluídos agora nos grupos prioritários

Alto índice de infecção motiva vacinação de servidores da segurança no RS, segundo comandante da BM F Paola Damazio / Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Tramandaí/Divulgação/Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Tramandaí/Divulgação
Integrantes das forças de segurança já começaram a ser vacinados nesta sexta-feira em Tramandaí Foto: F Paola Damazio / Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Tramandaí/Divulgação / Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Tramandaí/Divulgação

Nas ruas desde o começo da pandemia no Rio Grande do Sul, muitos trabalhadores da segurança pública têm sido contaminados pelo coronavírus. Por isso, policiais civis, brigadianos, bombeiros militares e outros servidores diretamente envolvidos em ações para controle e combate da covid-19 foram incluídos agora nos grupos prioritários para a vacinação contra a doença.

A Polícia Civil tem um efetivo de 5.152 servidores. Desses, 867 foram infectados pelo coronavírus. É um percentual de 16,82%. Três policiais civis morreram pela covid-19, segundo a assessoria de imprensa da instituição.

Já o Corpo de Bombeiros Militar tem um efetivo de 3.004 trabalhadores, sendo que 508 se contaminaram, até o momento. É um percentual de contaminação parecido com o da Polícia Civil, de 16,91%. Um bombeiro militar morreu pela covid-19, segundo a assessoria da corporação. 

A Brigada Militar tem o maior índice de contaminados. São 18 mil policiais militares na ativa, sendo que 3.405 já se infectaram - um total de 18,91%. Desses, 12 estão hospitalizados, 161 foram afastados por suspeita de contaminação e 10 morreram pela doença. 

Para o coronel Vanius Cesar Santarosa, comandante-geral da Brigada Militar, assim como os profissionais da saúde, os da segurança estão na linha de frente da pandemia.

— Desde o começo da pandemia, lá nos primeiros movimentos de isolamento social, os trabalhadores de segurança em nenhum momento fizeram home office, teletrabalho. Os policiais permaneceram em suas atividades normais. Tivemos muitos trabalhadores infectados e entramos nas prioridades. A segurança está no combate tanto quanto o pessoal da saúde. Policial tá na rua, atendendo presos, vários deles infectados. Nosso policial está na comunidade, no meio das pessoas. Mesmo usando EPIs, máscara, álcool gel — diz o comandante.

Fazendo uma média dos percentuais de contaminados nas três instituições, 18% desses trabalhadores da segurança foram infectados pelo coronavírus no Estado. Para comparação, o percentual de incidência do vírus em toda a população do Rio Grande do Sul é de 7.541 contaminados a cada 100 mil habitantes — ou seja, 7,5% do total de habitantes do Estado.

Em Porto Alegre, a vacinação dos trabalhadores da segurança começa na segunda-feira (5). Em algumas cidades do RS, como Tramandaí, no Litoral Norte, e Sapucaia do Sul, na Região Metropolitana, alguns brigadianos já foram vacinados. 

* Colaboraram Eduardo Matos e Luis Felipe dos Santos

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros